telas azuis da morte

 

A Microsoft vai mudar a sua tela azul da morte para uma tela verde da morte. Por isso, vamos voltar no tempo e revisar a história dessa característica dos sistemas operacionais Windows.

Essas mensagens de erro se transformaram em um sinal de identidade do desenvolvimento da Microsoft, e apesar de aparecer cada vez menos com a chegada do Windows 10, essas telas seguem surpreendendo com o passar do tempo.

Assim nasceram, e assim evoluíram as famosas BSOD.

 

Windows NT: assim nasceu a tela azul da morte

 

 

A tela azul da morte passou a aparecer em 1993, com o Windows NT, se transformando em um clássico do Windows.

O formato das telas foi algo mais ou menos uniforme, com poucas diferenças: no Windows 95, 98 e ME, as telas apareciam em modo de texto 80×25 colunas, enquanto que no Windows NT era exibida em modo 80×50 colunas. As tipografias também mudaram (Lucida Console no Windows XP até as Consles do Windows Vista e 7, ou a Segoe UI do Windows Server 2012).

 

 

A história do Ctrl+Alt+Del

 

 

A rota de fuga que permitia a reinicialização do computador com Windows também é um clássico do sistema operacional.

O atalho do teclado estava destinado originalmente a reiniciar o computador sem verificação de memória, mas deixou de ser utilizado até que Bill Gates resgatou a sequência, para que os usuários tivessem uma forma rápida de reiniciar a máquina.

Cuidado, pois a tela de diálogo do Ctrl+Alt+Del é muito similar com a do BSOD.

 

 

No Windows 8 ela fica triste

 

 

A maioria dos mortais não compreendiam os textos das BSODs, mas na verdade elas tinham que oferecer informações para os desenvolvedores sobre a origem de cada erro.

De qualquer forma, essas telas mudaram um pouco no Windows 8, se tornando mais sensíveis com os usuários comuns. Além da mensagem indicando o problema, mostrava um emoticon com uma cara triste.

 

 

QR Codes, a última inovação

 

 

Em 2016, mais uma novidade na tela azul da morte: a introdução de QR Codes que podem acompanhar a informação sobre o problema.

Os códigos podem ser escaneados com um smartphone, oferecendo acesso rápido aos dados que permite a correção do problema, ou ao menos para saber o que está acontecendo.

 

 

Nos dispositivos móveis

 

 

 

A chegada do Windows aos smartphones não foi o sucesso que muitos esperavam, mas a Microsoft segue impulsionando as virtudes da plataforma, que permite que um smartphone abrigue uma versão do Windows 10.

Obviamente, ele está sujeito a falhas, e as telas azuis da morte também começaram a aparecer nesses smartphones.

 

 

O Mac também tem sua BSOD

 

 

Vale lembrar que o Windows pode ser instalado em Macs, com um suporte oferecido pela própria Apple via BootCamp.

Isso fez com que a tela azul da morte também desse o ar de sua graça nesses equipamentos, o que deixa claro que o Windows pode falhar em qualquer tipo de equipamento, até mesmo naqueles considerados “perfeitos” pela Apple.

 

 

Quando a BSOD não é mais azul, mas sim, verde

 

 

A tela azul da morte (BSOD, Blue Screen of Death) nos acompanhou por duas décadas no Windows, mas essa cor deixará de ser absoluta protagonista nas mensagens de erro.

Em uma versão vazada de uma atualização do Windows 10 apareceu uma imagem com a tela de erro com fundo verde, algo que é surpreendente. A imagem só aparece para determinados usuários, e só está disponível para os Windows Insiders.

 

Telas azuis em locais inesperados

 

 

A aparição das telas azuis da morte em nossos computadores foram mais comuns do que a Microsoft desejava, acontecendo em situações que deixaram a sua lenda ainda maior.

 

 

As BSODs apareceram em um show do Nine Inch Nails nos Jogos Olímpicos de Pequim em 2008, nos monitores do transporte público de cidades como Londres ou Nova York, em aeroportos e caixas eletrônicos… os exemplo são quase infinitos, pipocando em vários lugares.

 

 

Seguindo a estrela das BSODs

 

 

Por sorte ou azar para a Microsoft, as telas azuis da morte são as mais conhecidas, mas não são as únicas do mundo da informática.

Vários usuários do Amiga lembram do Guru Meditaion, mas outros sistemas operacionais contam com mensagens de erro, como a “kernel panic” do Linux e do OS X. Neste último, havia uma tela negra da morte. Sinistro, não?