nexus-4-branco

Depois do anúncio oficial do Nexus 4 branco, algumas perguntas foram levantadas sobre o futuro da LG em relação à linha Nexus. Fabricar o Nexus 4 deu à LG uma importante relevância no mercado mobile, e muita gente acreditava que viria das mãos da fabricante coreana o Nexus 5, que tem lançamento especulado para o final do ano de 2013. Ledo engano.

Kim Wong, vice-presidente da LG na Europa, afirmou com todas as letras que a LG não está produzindo o Nexus 5, e que a empresa não tem planos de fazê-lo, já que a própria LG acredita que pode obter sucesso sem a Google. Logo, fazemos a pergunta: teria chegado ao fim a relação entre LG e Google? O Nexus 4 branco seria o capítulo final dessa parceria bem sucedida?

Além dessa afirmação corajosa, Kim Wong também afirma que não teremos um “Google Edition” (com Android puro) de seus smartphones de linha alta. Segundo o executivo, “não teria nenhum valor para nós lançar algo sem nossas personalizações”. 

Nos demais segmentos de produtos, algumas novidades serão apresentadas em breve. Um novo tablet Android da LG deve aparecer nos próximos meses, e esse é um dos focos da empresa, apesar deles mesmos reconhecerem que o mercado de tablets está bem segmentado. E esse é um ponto que a LG precisa pensar com muito cuidado: será que vale mesmo a pena entrar em uma competição onde vários outros fabricantes já estão presentes, e com concorrentes de peso como Apple e Samsung? A Microsoft imaginou que sim, mas está sofrendo (e muito) com o Surface. E esse é apenas um dos mais evidentes exemplos dos riscos que a LG corre).

Também não está descartada a possibilidade da LG se distanciar da Google, adotando outras plataformas móveis. Não fariam a sua plataforma, mas focariam seus esforços em um smartphone com o Firefox OS, ou com outra alternativa. Por fim (e essa é parte de sua estratégia operacional), eles planejam fabricar mais componentes de seus smartphones, aumentando assim a chance de lançar um telefone 100% da LG, sem ter um parafuso fornecido por terceiros.

Não são decisões ruins como um todo, mas são decisões bem arriscadas. Fabricar um Nexus 5 daria à LG um respaldo maior em relação à mídia especializada e ao público mais do que qualquer outro smartphone que a empresa possa apresentar. E para fazer um smartphone top de linha que realmente se destaque no mercado, a LG vai precisar inovar muito, algo que a LG ainda não conseguiu. Temos o exemplo do LG Optimus G (que testei recentemente para o TargetHD), que é um ótimo smartphone, mas que não consegue obter a mesma visibilidade que os modelos de outros fabricantes.

Ou seja, se a LG se distanciar mesmo da Google, vai ter que investir muito mais em marketing.

Sobre o movimento de buscar o mercado de tablets, a regra é a mesma: é necessário apresentar algo que se destaque no meio desse mar gigante de dispositivos. Ou o produto é muito bom, que chame a atenção por si, ou o investimento em publicidade terá que ser ainda maior.

Sobre a adoção de outras plataformas, é compreensível, desde que a LG busque mercados menos relevantes, com lançamentos nas linhas média-baixa de smartphones. Se estabelecer como uma boa opção para esses mercados pode dar à empresa um reconhecimento que nesse momento ela não possui, e conquistar um novo público que talvez eles não conseguiriam pelas mãos da Google.

Vamos ver se o futuro vai trazer mais lucros do que prejuízos à LG sem a Google. De qualquer forma, é mais um divórcio que está acontecendo no mundo da tecnologia.