Adele

 

Adele é uma artista impecável. Tem um potencial vocal incrível, é absurdamente afinada… mas é humana. E erra.

No Grammys 2016, ela desafinou. Pouca gente percebeu, mas isso aconteceu. E ela não se perdoou por isso. Em várias entrevistas, afirmou que chorou a noite toda após a premiação, e que não dormiu por dias, se culpando pelo o que aconteceu.

Em 2017, ela é uma das mais indicadas ao prêmio. Abriu a premiação com o seu single “Hello”, e na homenagem feita à George Michael, foi convocada para cantar a canção “Fastlove”.

Ao começar a música, quem tem ouvido mais apurado para a música, já sacou que tinha algo estranho acontecendo.

Adele começou em um tom abaixo do que a harmonia da música propunha.

A canção não avançou mais do que um minuto, e a cantora britânica interrompeu a apresentação, pedindo desculpas, e solicitando para que tudo começasse novamente.

Ela começou de novo. E DETONOU! Fez uma performance impecável, como sempre.

 

Como  músico, posso dizer: ela fez o correto. É difícil parar e recomeçar, mostrar diante de todos uma fraqueza ou o erro é doloroso. Mas reiniciar a música é o certo a fazer. Até porque o público merece o seu melhor.

Fico feliz por Adele ter mostrado o profissionalismo que falta para tantos outros…. que simplesmente não fazem nada quando a trilha de playback não funciona…

 

…não é mesmo, Mariah?