Imagem: Pixbay

 

Fazer ligações telefônicas está tão fora de moda que já há quem diga que é uma falta de educação telefonar ao invés de se comunicar via aplicativos de mensagem, como o WhatsApp, Messenger ou Skype. Quem diria que algo assim viria a acontecer tão cedo?

Paisagem comum, em outros tempos, aquelas fileiras de telefones públicos nas grandes cidades, já se tornou coisa do passado.  A modernização já aparece nos totens instalados em lugares de grande acesso como estações de metrô ou praças, que disponibilizam wi-fi ou tomadas USB para recarga de baterias.

Um fator primordial para que esta tendência se estabeleça foi o advento dos aplicativos de conveniência. Táxi, banco, operadoras telefônicas, além de entrega de alimentos, remédios, compras em loja, tudo isso está disponibilizado a um clique de qualquer pessoa.

Um caso de sucesso é o serviço de delivery de alimentos PedidosJá. Ela iniciou seus trabalhos em 2009 com apenas 3 funcionários, no Uruguai, e agora já conta com mais de 180 pessoas trabalhando.

Oferece praticamente todo tipo de comida e bebida ao cliente, entregue na porta de casa. São cerca de 15 mil estabelecimentos cadastrados que variam desde as pizzarias e restaurantes chineses tradicionais até drinques elaborados ou festas de aniversário completas.

É impossível uma empresa tradicional competir com este tipo de facilidade sem se adequar ao mercado, pois até os sites comuns já são considerados ultrapassados pelos consumidores mais jovens. É um aspecto observado em quase todos os países do mundo, através de pesquisas direcionadas do setor.

Em pouco tempo, qualquer tipo de mercadoria ou serviço já será possível acessar via app, e há quem anteveja até mesmo sem necessitar de internet para isso. A Netflix já permite que o usuário baixe vídeos em seu dispositivo e veja na hora ou lugar que quiser. Quem se isolar no sítio, no final de semana, não vai mais precisar de internet para ver seus filmes preferidos. E vem mais por aí!