A Amazon está no olho do furacão da tecnologia no momento. O Kindle Fire é popular lá fora, e está prestes a passar por uma grande atualização, mas a empresa de Jeff Bezos pensa em passos mais ousados. Diversos rumores apontam que a “novata” no mundo dos tablets (porém, gigante no comércio eletrônico) estaria preparando a sua entrada no mundo mobile, com o lançamento do seu próprio smartphone.

A principal evidência disso é a contratação de ex-funcionários envolvidos no projeto do Windows Phone, e a aquisição de diversas patentes que cobrem diferentes aspectos do desenvolvimento de um smartphone, como conectividade sem fio e recursos de chamadas. A compra das patentes normalmente acontece quando uma empresa quer se respaldar de futuros processos, mas você há de concordar que tal atitude só faz sentido quando uma empresa deseja desenvolver o seu próprio produto.

A Amazon entraria em um terreno desconhecido, com um produto que ainda não sabemos absolutamente nada, mas que pode ser no mundo dos smartphones o que o Kindle Fire foi no mundo dos tablets: um dispositivo centrado no consumo de conteúdos e serviços na nuvem, com um preço bem mais competitivo do que esse tipo de produto recebe. É uma aposta arriscada da Amazon, mas com muitas chances de fazer sucesso, justamente por contar com um público cativo, que acompanha os lançamentos da empresa desde os tempos do Kindle (e-book reader). Aqui, podemos dizer que, salvo suas devidas proporções, lentamente, a Amazon está criando uma “cultura” de seus produtos e serviços, tal como a Apple faz. E, dessa forma, retendo o consumidor por mais tempo.

Por que vale a pena esperar: da lista, esse é aquele que, se realmente existir, não chega ao mercado antes de 2013, salvo surpresas. Mas este aqui vale a pena a sua espera por alguns motivos. Primeiro, por ser um produto com a marca Amazon. Podemos questionar a qualidade do Kindle Fire, mas não se questiona o seu sucesso. Segundo, porque deve mesmo seguir a proposta do tablet, e ser um produto pensado para um mercado mais acessível, mas apresentando uma maior qualidade entre os modelos da sua faixa de preço. Terceiro, e o mais importante: pode ser um dos produtos que pode sacudir o mercado de linha média, tirando público das marcas alternativas, e até mesmo desviando um pouco o foco do consumidor dos produtos de marcas badaladas para o seu produto.

É o sonho de todo fabricante de tecnologia sonha. Mas poucas marcas podem fazer isso tão bem quanto a Amazon.