Estive em São Paulo ontem (31/03), para mais uma de minhas viagens malucas de 24 horas. Entre tantas atividades que tinha que realizar por lá, uma delas era concluir a aquisição de um objeto de desejo dos últimos meses? um ultrabook. Depois de muito pesquisar, minha escolha foi pelo Toshiba Protégé Z835, e minhas primeiras impressões sobre o produto são as melhores possíveis.

Bom, o que define o ultrabook em seu conceito? Um notebook mais fino, muito leve, com um processador rápido e uma alta performance, com um valor abaixo dos US$ 1.000. Ou seja, um MacBook Air, mas sem o seu preço elevado. Os fabricantes aceitaram esse desafio da Intel, e os primeiros resultados começam a aparecer.

O modelo da Toshiba foi um dos primeiros a serem anunciados no segundo semestre do ano passado, mas ainda não chegou ao Brasil em larga escala. Logo, posso dizer que sou um dos primeiros a adquirirem o produto por aqui. E, pelo menos nesse começo, estou impressionado com a proposta.

O produto é realmente muito fino e leve. Entre os ultrabooks que estão no mercado, é o mais fino. E isso faz com que ele seja muito prazeroso para trabalhar, tanto com o produto no colo quanto com ele em uma bancada. As primeiras horas com o produto tem sido muito produtivas, e o modelo promete fazer a minha alegria de mobilidade, já que pesa apenas 1.1 kg. Ou seja, é mais leve que o netbook da HP que eu estava usando (review no @TargetHD em breve).

Acreditem, ele não pesa quase nada. Muito prático para o transporte.

Breve comparativo de espessura do ultrabook da Toshiba e do netbook da HP. Chega a ser até covardia a comparação.

Mas o que realmente chama a atenção no Protégé Z835 é o seu desempenho. É realmente impressionante que seja possível adicionar um processador de alta performance, com uma bateria de longa duração (pelo menos 5 horas de uso), e desempenho elevado em um produto com corpo tão fino e leve. O Windows 7 Home Premium de 64 bits se apresenta em performance plena, com uma experiência de uso simplesmente impecável, sem travamentos, e sem muito tempo gasto para a carga do sistema operacional e de seus aplicativos. Muito disso é possível graças ao disco de SSD presente no produto (que por sinal, não é dos mais rápidos).

Outro fator decisivo para a compra: o teclado retroiluminado. Ele consegue ser eficiente e agradável para uma digitação noturna, sem interferir na luminosidade das teclas em ambientes bem iluminados. Inclusive, um dos pontos fracos dos ultrabooks está no teclado, que não podem ter teclas muito saltadas como nos notebooks convencionais, para se manter mais fino, mas no caso do modelo da Toshiba, a adaptação está sendo bem tranquila. A única coisa que estou tendo que fazer é tomar uma maior atenção para o novo posicionamento das teclas, uma vez que o teclado está no padrão US-Internacional. Mas para quem vai usar o produto para redigir textos de longa duração, o produto é excelente.

O review completo do ultrabook Toshiba Protégé Z835 estará disponível no TargetHD.net em breve. No review, contarei todos os detalhes sobre o produto, que por enquanto, está correspondendo muito bem às minhas expectativas.

P.S.: esse texto foi redigido no ultrabook da Toshiba. Aliás, digitar com ele vem sendo uma alegria constante.