Fórmula E

 

A Fórmula É e um primeiro passo para competições a motor ecologicamente mais sustentáveis. E muita gente não percebeu, mas sua evolução foi muito interessante.

A cada ano, temos carros mais rápidos e eficientes. e com a chegada de nomes como Audi, BMW ou Mercedes-Benz, já temos um interessante laboratório tecnológico para os carros elétricos do futuro.

Para mostrar esse evolução, vale a pena conferir o vídeo no final do post, onde temos um comparativo de três anos em uma volta no circuito de Mônaco, feita por Sebastian Buemi em 2015 e em 2017.

 

 

As diferenças são apreciáveis, onde o carro Renault se mostra mais competitivo, chegando antes em cada ponto do circuito.

Nos números, a diferença não é tão expressiva (53.478 de 2015 vs 53.313 de 2017). O grande ganho está na velocidade da corrida, que é onde a tecnologia elétrica sofre mais. Em prova, a volta mais rápida de 2017 foi 53.822, e em 2015 ficou em 55.157.

Algumas coisas da Fórmula E ainda precisam melhorar, como a duração das corridas e as várias condicionais para a capacidade das baterias. Este último item será resolvido em 2018, onde a bateria vai passar de 28 kWh para 56 kWh.

O modo fan boost, criado para atrair os fãs que oferecem ajuda extra para os pilotos deve ser aposentado, o que deve oferecer para as equipes maior liberdade e diferenciação.

As principais melhorias da Fórmula E chegaram com as mudanças na aerodinâmica, e em função disso eles puderam melhorar as suas unidades de potência.

Vídeo comparativo a seguir.