Alguns cientistas editaram o DNA de uma bactéria E.coli para adicionar um GIF animado de 2.6 KB.

Isso foi feito com a técnica de edição de DNA Crispr-Cas9, que em linhas gerais é o mesmo de ter um editor de texto para DNA, permitindo corrigir, copiar, recortar e colar informações.

O DNA da bactéria com o GIF (de 36 x 36 pixels) se codificou como sequências de nucleóticos (A-T-G-C), e a bactéria foi permanentemente modificada, mas totalmente funcional.

A bactéria se reproduziu por várias gerações, e tempos depois o mesmo GIF foi recuperado, fotograma por fotograma, em 90%, com alguns pequenos erros próprios das mutações e da replicação.

Pode não parecer muita coisa, mas o que podem fazer com isso é o que realmente importa.

 

+info