Honor 8 Pro

 

A Huawei quer ser a líder em vendas globais de smartphones em 2020. Não é uma tarefa nada fácil, mas é inegável que a empresa cresce em participação de mercado de forma considerável. E o Honor 8 Pro pode ajudar e muito nessa ascensão.

É possível arriscar a dizer que a Huawei vai assumir a segunda posição do mercado mobile até o final de 2017, ultrapassando a Apple. E essa teoria não é descabida: por mais que o iPhone de décimo aniversário seja algo realmente mágico e revolucionário, bem sabemos que esse smartphone perde mercado lentamente nos principais mercados globais.

Os motivos são vários: os preços elevados cobrados pela Apple, a necessidade do usuário em trocar o seu iPhone por um smartphone Android mais barato e que oferece as mesmas funcionalidades, ou até mesmo o simples fato das pessoas não verem a necessidade de comprar um iPhone quando um bom smartphone Android faz exatamente a mesma coisa, por um preço consideravelmente menor.

 

E falando especificamente do Honor 8 Pro, temos aqui um dispositivo que pode suprir muito bem as necessidades desses usuários que precisam trair o movimento.

É um modelo com acabamento muito bem cuidado, a tão desejada câmera dupla (que definitivamente virou tendência para os smartphones a serem lançados em 2017), um leitor biométrico (que também se faz necessário para um bom dispositivo de linha média premium, pelo menos), um design bonito, uma tela generosa… e o processador Kirin.

Apesar do chip Kirin não ser considerado um dos processadores mais potentes do mercado, ele prova a sua competência para a maioria das atividades da maioria dos usuários. Para compensar, o Honor 8 Pro possui uma maior quantidade de RAM, uma generosa quantidade de armazenamento e um software muito personalizado, mas otimizado para esse conjunto de hardware.

 

De qualquer forma, o Honor 8 Pro, mesmo não ficando no mesmo nível dos dispositivos top de linha da Samsung, LG e companhia, entrega uma relação custo-benefício tão interessante, que não será uma surpresa se ele for um campeão de vendas na Ásia… reforçando assim minha previsão de vice-liderança da empresa até o final do ano.

Podem me cobrar. Pois isso está mais perto de acontecer.