Como se não bastasse a chegada do final do ano, e todos aqueles votos de “paz e fraternidade entre os povos” que não entram na cabeça de algumas pessoas, agora temos mais uma batalha do mundo da tecnologia. O Twitter abriu guerra contra o Instagram, que como todo mundo sabe, agora é de propriedade do Facebook. Ou seria o contrário? Bom, mas a pergunta mais importante é: será que os dois não podem mais coexistir em uma mesma timeline?

Segundo o Twitter, não. Principalmente depois que o pessoal do Instagram disse: “vocês podem ver nossas fotos com melhor qualidade no Instagram, e não no Twitter”. Ao saber disso, o Twitter disse: “ok, eu não quero mais brincar”, e removeu a integração das imagens do concorrente em sua linha do tempo. E foi além: o rumorado recurso de filtros de imagens no Twitter foi lançado hoje (nos aplicativos para iOS e Android), antecipando uma decisão que só seria tomada ou no final do ano, ou no começo do ano que vem.

O mercado de imagens se tornou algo muito importante para o mercado de tecnologia como um todo. Qualquer celular hoje tem câmera, e contar com um serviço que seja competente e atraente no ato de compartilhar (e embelezar) imagens pode ser uma mina de ouro no quesito “vamos agregar valor ao serviço”. E como todo mundo hoje tem um celular com câmera… é só fazer as contas.

Na verdade, a briga mesmo é entre o Twitter e o Facebook. As duas principais redes sociais do planeta decidiram ir para o combate direto em um dos recursos mais usados em comum pelas duas redes. Como era de se esperar, o Twitter começou o seu serviço de filtro e edição de imagens pequeno, com apenas oito filtros disponíveis. Mas já é um começo. Enfrentar o Instagram, que se tornou a referência nesse segmento, é um desafio muito grande. Mas o fato da base de usuários do microblog ser muito maior que a do serviço de fotos mais popular do planeta deve ajudar a diminuir esse abismo inicial.

Eu sei que vai ter muita gente que vai preferir adotar logo o serviço do Twitter em seus dispositivos, já que vai tudo para uma timeline só, e já está tudo na mão mesmo, sem precisar sair de um aplicativo para outro. O problema é que o Instagram faz isso e mais. Se você desejar, ele manda a mesma imagem para o Twitter, Facebook, Flickr, Foursquare, e-mail… no meu caso, nem todos os meus contatos do Twitter estão no Facebook, ou mesmo no Instagram. Mandar uma imagem que eu gosto apenas para o Twitter não é muito funcional, no meu caso.

Além disso, as pessoas com um cadastro de longa data no Instagram já criaram um histórico e uma biblioteca de imagens considerável, que não vão querer desperdiçar assim, do nada.

No meu caso, vou continuar com o Instagram mesmo, que já manda a imagem para vários lugares. Isso não quer dizer que eventualmente eu não vou usar o recurso de fotos do Twitter. Só quer dizer que, pelo menos por enquanto, meus seguidores na rede de Biz Stone vão ter que clicar em um link para ver a foto. Ou me acompanhar no Foursquare. Se bem que não tenho postado tantas fotos ultimamente… mas como as férias estão chegando… “vai que”, né?