Stephen_Elop

Não precisa apelar, Stephen Elop. Afinal, você já é um homem crescido, (na teoria) sabe o que está fazendo com a empresa no qual você é Chairman, e sua mãe te deu bons modos. Tudo bem, eu ainda fico com aquela sensação que você é o “agente duplo”, que quer destruir a Nokia de dentro para fora, para que a Microsoft possa comprar a empresa de Espoo por uma pechincha no futuro. Mas, mesmo assim… que papelzinho, hein? Coisa de fanboy!

Eu imagino um daqueles moleques nerds que ficam no quarto o dia inteiro, fazendo blogs de doutrinação em relação a uma marca ou produto, e quando encontram o amigo com um smartphone do “inimigo”, comete tal ato. Executivos são pessoas que podem dar o exemplo. Bom, quero dizer… não, não podem. Mas deveriam.

Na semana passada, durante uma entrevista para um programa de TV da Finlândia, Elop se colocou em uma saia justa que terminou em uma cena, no mínimo, infeliz. O executivo foi bombardeado pelo entrevistador sobre um suposto novo smartphone o Nokia Lumia 928. Como bem sabemos, nenhum membro de nenhuma empresa etá autorizado a falar sobre modelos que ainda não são considerados oficiais, e nesse caso em especial, mesmo que o fosse, o foco não era aquele. Elop queria mostrar as qualidades do novo Nokia Lumia 620, que aqui no Brasil é o smartphone com Windows Phone 8 de menor custo (até a chegada do Lumia 520, que já está homologado pela Anatel).

Essa insistência do jornalista (aliás, jornalistas quando querem, conseguem ser seres humanos insuportáveis) certamente estava deixando Elop muito irritado (dava pra ver o desconforto na cara dele, pelo vídeo). Então, para colocar uma gota d’água no copo já transbordando do CEO da Nokia, o apresentador do programa decidiu mostrar que seu smartphone pessoal era um iPhone, e afirmou ao executivo: “eu não quero ter um iPhone, eu quero um aparelho da Nokia”.

Tão rápido quanto humanamente possível, Elop toma o iPhone das mãos do apresentador, e diz “vou tomar minhas providências sobre isso”, e arremessa o smartphone da Apple no chão, afirmando posteriormente ao seu antigo dono que ele vai ter o seu smartphone Nokia das mãos dele.

Ok, vamos refletir sobre isso como pessoas racionais.

Tá, pode parecer divertido para alguns. à primeira vista, é até engraçado. Mas não é a imagem mais positiva que Elop pode passar. Primeiro, porque só crianças birrentas e fanboys fazem isso. Ele não é o primeiro CEO que faz isso, e temo que não seja o único. E todos eles que fizeram eu entendi como seres que queriam fazer papel de palhaço diante do público.

Segundo, não é destruindo uma unidade do produto adversário que você mostra que o seu produto é superior. No lugar disso, por que não fazer smartphones melhores que a concorrência? Porque dá mais trabalho? Ou porque, no fundo, a Nokia não é mais capaz de realmente surpreender? Olha, eu até me esforço com a Nokia, torço pela sua recuperação, mas fica difícil apoiar a empresa quando seu CEO toma atitudes que “jogam para a torcida”.

Sem falar que, nos dias de hoje, não é nenhum absurdo um executivo ou funcionário de uma empresa usar um dispositivo de outra empresa. Um exemplo disso é que na semana passada flagraram o Eric Schmidt com um BlackBerry, que deve ser mais útil e funcional para suas necessidades do que um Android.

Logo, Mr. Elop… menos showzinho, vai. Muita insegurança para um marmanjo do seu tamanho, da sua idade, e com sua posição em uma empresa de tecnologia. Da próxima vez, tente nos convencer que hoje é melhor ter um Nokia com Windows Phone 8 do que um iPhone com um iOS engessado… aí, bastava você chamar o iPhone de “velho” ou de “sistema engessado”, que era o suficiente. Não seria nenhuma mentira.

Não sei você, mas se o Elop quebrasse o meu iPhone do nada, eu ficaria puto.