Samsung Galaxy Tab S3

Em linhas gerais, é isso. Mas não quero ser simplório.

A Samsung lançou o Samsung Galaxy Tab S3 com vontade de mostrar utilidade para o produto. De fato, deve ter sim para aqueles produtores de conteúdo, criativos, gamers e consumidores de conteúdo multimídia mais exigentes, ou para quem quer garantir um bom desempenho em um tablet Android.

Mas… sério mesmo que um tablet Android pode mesmo ser tão mais eficiente para a produtividade que um iPad?

Vale lembrar que estamos falando de um tablet Android, que pode ser muito bem vindo para os usuários de entrada e intermediários (apesar de considerar o preço do produto um absurdo), mas os usuários mais avançados e profissionais com certeza vão partir para um iPad para trabalhar no tablet. A gama de aplicativos é maior, e o resultado final entregue pelo tablet da Apple é melhor.

Compreendo também que o produto é uma alternativa ao Microsoft Surface, onde a Samsung quer apresentar o Samsung Galaxy Tab S3 como uma alternativa mais barata, mais leve e tão funcional quanto.

Mas discordo da parte de ser “tão funcional quanto. Afinal de contas, o tablet da Samsung conta com o sistema operacional Android que, mesmo com todas as adições que os coreanos oferecem no seu software, ainda é um sistema operacional móvel. Já o Surface conta com o Windows 10, um sistema operacional completo, inclusive com os recursos de multitarefa que, pelo menos para mim, é algo que considero como fundamental para o meu dia a dia de usuário profissional.

 

 

Mas nem tudo é tragédia no Samsung Galaxy Tab S3.

O tablet possui um hardware robusto o suficiente para agradar os mais exigentes, o que é algo bem coerente para atender as necessidades dos usuários mais produtivos.

Com processador Qualcomm Snapdragon 820 trabalhando com 4 GB de RAM e 64 GB de armazenamento, temos um conjunto que é comparado ao Galaxy S7, em uma tela de 9.7 polegadas sAMOLED com resolução elevada. Nos números, é um baita de um tablet Android, o que vem muito bem a calhar para quem quer trabalhar com tarefas mais pesadas, rodar vídeos com resoluções elevadas ou rodar jogos sem engasgos.

A S Pen é outro trunfo a favor dos criativos, com 4.096 níveis de pressão. Esse item é bem importante para quem gosta de trabalhar com escrita, desenhos, design e tarefas que exigem alta precisão de escrita e traços.

E seu case/teclado é sempre muito útil para quem precisa escrever longos textos, pois é mais confortável do que digitar diretamente na tela.

Mas… é um tablet Android. Infelizmente.

Os R$ 2.999 cobrados pela Samsung para o Galaxy Tab S3 no Brasil são elevados demais para um produto que é pensado na produtividade. Mais caro ainda quando a empresa obriga o usuário a comprar o case/teclado à parte, por R$ 479. A brincadeira sai cara demais.

Mesmo perdendo a mobilidade, eu compro um ótimo notebook com esse dinheiro. E, se é para ficar limitado pelo sistema operacional, eu ainda posso comprar um Chromebook e ser feliz com ele TAMBÉM rodando os aplicativos do Android. E pagando menos por isso.

Bela tentativa, Samsung, mas… não colou. Pelo menos para mim.