Dia de Ação de Graças. É o “Thanksgiving” dos norte-americanos. Mas é bom parar e pensar no verbo “agradecer”. Até porque a gente passa a vida inteira pedindo demais. Seja naquela força superior (que cada um acredita naquela que acha a correta), seja para o gerente do banco pelo empréstimo, seja para o pai para comprar o novo Madden 13, ou para a mãe, para comprar o novo CD do Luan Santana. O ser humano pede demais, e agradece de menos.

Que esse post sirva para que eu agradeça a algumas coisas que aconteceram e ainda acontecem na minha vida. Ok, mais um post babaca e piegas, mas como o blog é meu e quase não tenho assunto para escrever aqui, está valendo.

Segue a lista:

– agradeço pelo fato de estar vivo, ser razoavelmente saudável (apesar da diabetes, mas vivo bem com ela), e de ainda ter a energia necessária para seguir em frente, buscando um amanhã melhor.
– agradeço pelos meus pais, que em um determinado dia do mês de maio, por falta melhor do que fazer, decidiram colocar mais um moleque no mundo. E esse moleque hoje está nesse momento escrevendo nesse texto. Eles ainda seguem sendo fundamentais na minha vida, mesmo com as distâncias e diferenças.
– agradeço pela minha família. O porto seguro. Aqueles que estão ao meu lado, de forma incondicional. Amigos podem te trair e te abandonar, mas a família nunca vai te deixar na beira do caminho. Tive inúmeras provas disso nos últimos anos.
– agradeço a alguns dos meus professores e mestres, que não se limitaram a apenas ensinar a arte de ler, escrever e somar. Alguns me ensinaram a apreciar, produzir e multiplicar minha capacidade criativa, para tentar transformar o que está ao meu redor em algo melhor, diferente. Se hoje escrevo em blogs, é porque eu tive uma professora de português espetacular (Lúcia Milani Piantino), um professor de inglês excepcional (José de Freitas Caires Filho), e outros mestres incríveis ao longo de quase 15 anos estudando.
– agradeço aos meus amigos. Os poucos. Os verdadeiros. Não porque eles sempre estiveram ao meu lado, ou por me aceitarem com meus vícios e defeitos. Mas por me ajudarem a ser alguém um pouco melhor. Por me apontar os erros. Por quererem me ver alguém melhor. Por acreditarem na minha sinceridade e transparência, mesmo quando ela foi apresentada aos berros, para todo mundo ouvir.
– agradeço pelos obstáculos que colocaram no meu caminho. A cada desafio, uma lição. A cada superação, novas habilidades e conhecimentos eram adquiridos, para que na próxima, eu já saiba como proceder. Cada vez menos reclamo dos problemas para me concentrar a buscar as soluções. Eu sei, é uma merda ser passado para trás. Mas a melhor coisa que posso fazer por mim mesmo é respirar fundo, levantar, e dar o primeiro passo. Para frente.
– agradeço aos meus desafetos. Não acho que tenho inimigos, pois não me considero tão relevante assim para isso. Os meus inimigos muitas vezes me mostram onde estou errando, e em muitas vezes, eu melhoro com isso. Por muitas vezes eu desejei que cada um deles fossem para lugares impublicáveis, mas cada vez mais entendo que os trolls precisam existir. Eles não sabem, mas o prazer deles de me diminuir revelam algumas coisas que podem me tornar ainda maior no futuro. Até porque quanto mais tentarem me derrubar, mais forte eu vou me tornar.
– agradeço ao mundo que me cerca. Ok, ele está bem longe de ser o ideal para mim e para você. Mas a vida é feita para ser vivida. Tanta gente que não tem a oportunidade de viver uma vida plena e perfeita, e a gente reclamando que a nossa conexão de internet está lenta? Eu penso que estaria em um poço sem fundo gigante se eu não tivesse plenas condições de apreciar todos os pontos positivos das demais pessoas, se eu não tivesse a oportunidade de ver as possibilidades que se abrem na minha frente, e não aproveitá-las.
– agradeço, e muito, por não deixar morrer a minha fé no futuro. A cada dia que passa, eu acredito naquela frase que “hoje é melhor que ontem, amanhã será melhor que hoje”. Já passei por muita coisa com 33 anos. Já me desesperei, já me vi perdido, já achei que estava tudo perdido. E estou aqui, escrevendo esse post. Se não deu certo, é porque é preciso trabalhar mais nisso. E acreditar em você é sinônimo de que, no futuro, vai dar certo.
– por fim, mas não menos importante…

Eu agradeço por terem colocado no meu caminho a mulher que hoje eu amo. Em 2012, completei nove anos de casamento com Dalva Teruel Pavan, e mesmo com todas as diferenças, as dificuldades, e até mesmo o preconceito até de pessoas próximas, superamos nossos defeitos, orgulhos e imperfeições para ficarmos juntos. Não sou um marido perfeito. Ainda me esforço e muito para ser melhor. Mas se sou um pouco melhor como marido, como homem, como pessoa… sou por causa dela. Por ela, vale a pena. E muito. E sou muito grato por ela estar no meu caminho. Sou muito grato por ela me amar, e continuar me amando.

Enfim por tudo isso, e por outras coisas que não cabem em um post, eu digo em negrito e caixa alta…

MUITO OBRIGADO!