lg g5 modulos

 

O LG G5 gerou expectativas antes do lançamento. Principalmente por conta de sua inovação com seus módulos. Porém, o mercado não recebeu o conceito com o mesmo entusiasmo que a própria LG viu o conceito inicialmente.

O tempo mostrou que a ideia de expansão de funcionalidades proposta pela LG não é uma das soluções mais práticas e viáveis para a maioria dos usuários.

A empresa até potencializou esses módulos, mas de forma tímida. O LG Friends, família de acessórios, nunca disse a que veio.

Então… o que aconteceu com os módulos do LG G5 (e por que eles não voltam no LG G6)?

 

 

Não era algo cômodo ou prático

 

lg-g5-modulos-02

 

O danado do tempo mostrou que, apesar de bem intencionado, o sistema de módulos do LG G5 foi mesmo mal executado.

Alguns usuários e especialistas alegam que, não apenas por conta do fato do módulo de bateria eventualmente não ficar bem encaixado no conector do dispositivo, a necessidade de desconectar a bateria para conectar um novo modulo não é uma das coisas mais práticas do mundo para a maioria dos usuários.

E o grande golpe de misericórdia nesse aspecto foi a chegada do Moto Z ao mundo.

O sistema modular por conexão magnética se mostrou muito mais promissor e prático do que aquela apresentada pela LG. Com isso, o interesse nos módulos intercambiáveis, que já era pouco, se acabou.

Além disso, como você pode se interessar por algo que você não encontra com facilidade?

 

 

Onde estão os demais módulos?

 

lg-g5-friends

 

Esta é uma excelente questão.

E não falo só no Brasil. Nos mercados internacionais, os clientes encontraram dificuldades em encontrar os demais módulos para o LG G5. Em alguns países, o LG Friends jamais foi lançado.

Nem mesmo os acessórios oficiais para o modelo foram encontrados com facilidade.

A baixa variedade de opções e a dificuldade em encontrar esses módulos fez com que o interesse pelo dispositivo (e pelos módulos) se tornasse ainda menor do que já era.

 

 

Módulos… por quanto tempo?

 

lg-g5-modulos-03

 

O LG G5 ainda custa caro nos principais mercados. No Brasil, o preço foi reduzido consideravelmente, o que indica o quanto o aparelho se desvalorizou por aqui. Mesmo assim, isso não deve salvar o futuro dos módulos.

Pelo menos não no formato que a LG propõe.

O LG V20 já chegou sem os módulos, e agora que já sabemos que o LG G6 também será um modelo convencional, não imagino que esse conceito perdure por muito tempo na empresa.

Sem falar que, mesmo que os módulos sobrevivessem, eles eram caros demais, o que afasta boa parte dos usuários sobre a necessidade de atualizar os dispositivos com certa constância com itens que geram elevados custos.

Até porque não havia garantias de que você poderia utilizar esses módulos por vários anos.

Enfim, a pergunta que fica é: será que a proposta modular da Lenovo com o Moto Z realmente vai prosperar e prevalecer?

Só o tempo vai dizer.