Hoje em dia, qualquer bateria tem um aviso claro que a mesma não deve ser queimada ou aberta. Mas na década de 50, era recomendado a incineração da bateria na lareira, por mais absurdo que isso possa parecer.

O mais bizarro disso é que a recomendação veio da revista Popular Science, na edição de novembro de 1951, onde eles declaram que o método ideal para se desfazer das pilhas era simplesmente queimando as mesmas na lareira.

A recomendação era tão perigosa na época como seria hoje em dia. As pilhas de 1950 não eram seladas, e não acumulavam pressão para explodir. O que aumenta a curiosidade da recomendação, já que a revista argumenta que o processo de queimar as pilhas ajudava a reduzir o acúmulo de fuligem, e os diferentes compostos químicos nas pilhas resultava em chamas coloridas.

Como será que a humanidade vai ver daqui a 50 anos comportamentos que consideramos absolutamente normais hoje?

Talvez o vídeo a seguir ajude a responder…

 

 

 

+info