Hoje eu não vou falar mal da Nokia. Nem vou falar mal das decisões equivocadas de seus executivos, de seu conservadorismo burro, de sua arrogância diante de um mercado emergente. Já falei muito disso em outras oportunidades. Vou me permitir ser saudosista por alguns minutos, para lembrar um pouco daquele que foi um dos melhores sistemas operacionais da recente história dos dispositivos móveis, e o melhor da sua geração: o Symbian.

Muitos daqueles que hoje escrevem ou trabalham com tecnologia começaram com o Symbian, mesmo sem saber direito o que era o Symbian, ou um sistema operacional móvel, ou até mesmo um smartphone. Eu comecei com o Symbian no mundo dos smartphones. Comecei com um Nokia E51, e fui avançando por essa linha: E61, E63, E71, E5… muitos modelos Nokia passaram pelas minhas mãos desde antes de começar a escrever sobre tecnologia na internet, e foram esses smartphones (e principalmente, por gostar desses smartphones) que me incentivaram a criar um blog para falar sobre isso. E tudo isso por causa do Symbian.

Por causa desse sistema móvel, eu participei do meu primeiro evento de imprensa como blogueiro convidado (o Nokia Fórum, lá atrás, em 2009, quando ele ainda existia). Por causa do Symbian, eu conheci outros blogueiros que, mesmo indo para outros caminhos no mundo da tecnologia, também admitiram que começaram com um smartphone da Nokia. Hoje, até eu abandonei o Symbian de vez (tenho um iPhone 4 e um Motorola RAZR i com Android), mas minha esposa ainda usa um E5 que já dura dois anos. Por que? Porque é simples, prático e funcional para as necessidades dela.

Quando eu comprei esse Nokia E71 que você vê na foto, eu me senti orgulhoso. Não por ser um produto top (não era mais), mas sim por ser a concretização de um sonho de muito tempo. Pode parecer bobo, mas por muitos anos sonhei em ter um smartphone QWERTY da Nokia. Desejo? Todos nós temos, e como vamos explicar todos eles? Com o tempo, entendi que minhas necessidades no mundo mobile tomavam outros horizontes, e acabei comprando o meu primeiro iPhone para cumprir a missão de ser o meu smartphone pessoal e profissional. E vou confessar que até queria ter mais condições de deixar o E71 aqui, apenas como peça de colecionador.

Aliás, um dia eu ainda vou conseguir isso: começar a reunir celulares e smartphones que eu considero clássicos, como uma pequena coleção pessoal.

Pois é… o tempo passou. Para mim, para muita gente. E hoje, veio a notícia que a Nokia não mais lançará smartphones com o Symbian, e que o Nokia 808 PureView seria o último com o sistema. Apesar de saber que o Symbian estava morto para o mercado desde a chegada do Windows Phone à Nokia, eu observava de longe a inacreditável resistência da Nokia em reconhecer o óbvio: o Symbian perdeu o bonde da história, e ficou para trás. Infelizmente.

Mas não podemos nos lamentar. O Symbian, assim como tudo nessa vida, cumpriu com o seu papel. Inseriu milhões de pessoas ao redor do planeta ao mundo mobile, foi uma das válvulas propulsoras de tecnologia, fez com que muita gente se interessasse nesse assunto, e se hoje nos comunicamos através das palavras, é por causa dele. Sou muito grato pelo tempo que dediquei ao sistema operacional. Talvez eu fique um pouco triste por ter entrado nesse mundo mais tarde que os demais, mas aproveitei bem o tempo que estive com os meus smartphones da “série E” da Nokia.

Para quem ama tecnologia, de verdade, hoje foi um dia para dizer adeus para um velho amigo.

R.I.P. Symbian, e muito obrigado!