Recomeço aqui a colocar minhas opiniões sobre assuntos do cotidiano. Percebi que meu blog pessoal precisa voltar a ser pessoal. E que preciso blogar para mim mesmo, pelo menos uma vez por dia. Por isso, a cada final de dia, vou me disciplinar para escrever algumas linhas que serão o primeiro post do dia seguinte do meu próprio blog. Porque blogar coisas interessantes é preciso. Escrever sobre coisas interessantes, mais ainda. E enganar as pessoas, fingindo que sei usar um repertório de palavras vastas é fundamental.


(a foto não serve para nada, a não ser ilustrar o post)

Nessa vida, o importante é recomeçar. Temos diversos exemplos que provam que recomeçar nessa vida pode ter resultados positivos e surpreendentes. Você pode descobrir perspectivas novas, maneiras diferentes de fazer aquilo que vem fazendo sempre, e até, quem sabe, uma nova forma de capitalizar nesse recomeço (porque, afinal de contas, você aprendeu como perder dinheiro na primeira vez, e não vai repetir o mesmo erro, certo)?

O corajoso recomeça na vida. Os preguiçosos e covardes ficam chorando no canto escuro da sala, gemendo, com medo. Ou reclamam que “o meu carro é uma porcaria” (abraço, Barrichello). Além disso, em um país onde temos inflação, invasão do mercado chinês, Bolsonaro e séries como Ringer e Terra Nova (aqueles que gostam que me desculpem, mas são duas bombas), se você não recomeçar na vida, você vai ficar mais perdido que executivo dinamarquês no meio da praia de Copacabana em uma terça-feira à tarde. O Brasil é um país que te incentiva a recomeçar sempre, não só pela questão de sobrevivência financeira, mas até mesmo pela sanidade mental. Já pensou? Você e sua conta bancária ficando na mesmice, e o preço da carne subindo a cada mês no supermercado? Ou pior: sua fatura de cartão de crédito cresce, e você, nada (if you know what i mean “cresce”, ok?).

Ou seja, tal como um cachorro que é vestido como um cachorro pelo seu dono, quero me reciclar mais uma vez, e mostrar que é possível recobrar o prazer de escrever sobre amenidades (ou obscenidades, dependendo do QI da pessoa que vai ler esse blog)). Talvez eu esteja buscando por uma diversão cotidiana na internet, sem precisar apelar para o Orkut ou jogos sociais no Facebook. Afinal, meu tempo gasto online é mais para fazer com que o TargetHD.net (recomendo que visitem) continue a dar certo. Logo, pelo menos um post por dia será dedicado a escrever o que tenho vontade. Algo que vi, que li, que joguei (o Kinect é o meu novo Deus, e nada me faltará), que vivi e sobrevivi. A vida é um jogo de sobrevivência em algumas vezes, e acho que, algumas dessas jogadas são legais de serem compartilhadas com vocês.

Quem sabe role algumas postagens em vídeo, mas aí o pessoal vai ficar dizendo que caí na modinha do videoblog. Mas, quer saber? Se quiser, farei. A vida é feita de modinhas também. Algumas infelizes, como a modinha da banda que citei no título do post. E isso porque não falei do Justin Bieber (coitados dos pais… devem agradecer por gostaremo do Menudo no passado).

Enfim… apenas para deixar esse blog mais pessoal. Entenderam?

Não?

Pois não vou desenhar, ok?