replays

 

A FIFA aprovou o uso da tecnologia VAR, ou Video Assistant Referee, ou a tecnologia de replays, que finalmente vai estrear na Copa do Mundo Rússia 2018.

Com isso, os jogos terão os replays instantâneos, que visam corrigir ou modificar os erros dos árbitros, que passa a ter uma equipe de árbitros assistentes, que com uma série de câmeras poderá analisar a jogada duvidosa para uma decisão final.

Essa tecnologia já é utilizada em larga escala em outros esportes, principalmente no futebol americano, mas sua estreia oficial no futebol só acontece agora. Uma video-arbitragem aconteceu no mundial de clubes FIFA 2016, como testes. No jogo Kashima Antlers vs Atlético Nacional, uma decisão de vídeo replay foi registrada.

A ideia é evitar muitas interrupções nos jogos, reduzindo em um minuto o tempo máximo para se tomar uma decisão. A tecnologia foi testada em outros jogos, com algumas anulações de gols e reversões de marcação.

O sistema gera diversas opiniões. Há os que acreditam que o replay pode interromper o rtimo do jogo justo, gerando dúvidas. Há quem acredita que os erros de arbitragem vão diminuir, fazendo com que os resultados das partidas sejam muito mais independentes.

 

Quatro cenários de uso dos replays

 

A FIFA limitou o uso desse assistente de vídeo a quatro cenários de uso:

 

1. Gols: uma vez concedido o gol, será analisado se houve alguma infração prévia que pode anular o gol.
2. Pênaltis: pode esclarecer se efetivamente um pênalti deve ou não ser marcado.
3. Cartões Vermelhos: faltas mais graves poderão ser analisadas com replays para comprovar sua gravidade.
4. Confusão de identidade: a ideia é evitar punir jogadores que não interferiram na jogada, mas sim aqueles que efetivamente influenciaram na infração de jogo.

 

As fases finais dos Mundiais de futebol servirão para a introdução de novos regulamentos e tecnologias no esporte. Será interessante ver se os replays favorecem ou não ao futebol.

O tempo vai dizer.

 

Via EngadgetFIFA