Galaxy S8

 

Um cheklist meio caro, não é Samsung? Eventos em Nova York e em Londres apenas para confirmar tudo o que todo mundo sabia a algumas semanas?

Enfim, eu não discuto. Os novos Galaxy S8 e Galaxy S8+ precisavam mesmo de um grande evento para serem oficialmente anunciados. O problema é que, exceto o fato dos presentes em Nova York receberem uma unidade do Gear 360 (câmera para captura de imagens em 360 graus na resolução 4K com envio de imagens por streaming), o evento em si não apresentou novidades.

Sério. Nenhuma.

Nem mesmo as opções de cores reservaram surpresa. Tudo já era muito conhecido de todo mundo.

 

 

Tudo isso deixa um sabor meio amargo na boca de quem gosta de acompanhar o que acontece no mundo da tecnologia.

Gostamos de ser surpreendidos. Gostamos das novidades. Gostamos do efeito “wow” quando um recurso inovador é apresentado diante de todos.

Acho que, nesse caso, nem foi tão culpa da Samsung, ao mesmo tempo que também é culpa da empresa.

Uma vez que o Galaxy Note 7 foi um verdadeiro desastre, a Samsung entendeu que precisava manter a chama do futuro modelo top de linha acesa. E, por conta disso, promoveu alguns dos vazamentos que publicamos nos últimos meses.

Por outro lado, não tinha muita escolha: se não fizesse isso, podia correr o risco de simplesmente ter o novo modelo eclipsado não só pelos lançamentos da concorrência, mas principalmente pelo (problemático) Galaxy Note 7.

 


Se bem que eu particularmente duvido que os vazamentos seriam menos frequentes se tudo tivesse dado certo com o Galaxy Note 7. A Samsung é a marca mais popular do mercado de telefonia móvel mundial, e qualquer coisa que se escreve da empresa na internet acaba virando um elevado volume de visitas para quem produz esse conteúdo.

De qualquer forma, fica o registro que o evento de hoje (que durou apenas uma hora, graças ao bom Deus) não teve a menor graça porque todo mundo já sabia tudo.

Tanto, que é relativamente fácil falar sobre o dispositivo, mesmo de longe. E posso até resumir em uma frase: “tem tudo para ser um dos melhores – se não for o melhor – smartphone de 2017”.

Desde que não exploda, é claro!

 

Viu? É tenso para a Samsung ter que lidar com esse bullying por um bom tempo.

 

 

Mas volto a desejar os meus votos de boa sorte para a Samsung e o Galaxy S8. É um gadget aparentemente incrível, e eu quero mesmo que dê certo.

Aliás, quero isso, e quero que a Samsung mande o produto para testes, por favor! Mas acho que nesse segundo item eu estou pedindo um pouco de mais.

Reconheço.