iphone

 

9 de janeiro de 2007.

Eu era apenas um cara que gostava de tecnologia, acompanhava uma ou outra notícia, mas não produzia conteúdos diários na internet. Mas estava acompanhando pela internet a Macworld 2007, onde seria apresentado o iPhone, produto que mudou tudo no mercado de telefonia. E que, de certo modo, mudou bastante a minha vida.

Eu nunca fui fanboy. Nunca defendi ostensivamente uma marca, independente do quanto ela acertasse ou errasse. Também nunca fui hater. Nunca preguei o fim de um fabricante apenas porque seus produtos eram ruins ou me desagradavam.

Me orgulho de ter elogiado e criticado todas as marcas, de acordo com seus níveis de erro ou de acerto. Acho que nove anos depois de começar a escrever sobre tecnologia na internet, eu posso dizer que mantive um nível de isenção que poucos colegas do setor possui. E isso me deixa orgulhoso, pois reforça o que eu sempre disse: eu sou um apaixonado por tecnologia.

E essa paixão teve uma faísca mais intensa por causa do iPhone.

Por causa desse lançamento eu me tornei um blogueiro de tecnologia.

 

Mesmo não sendo o smartphone mais avançado do mundo (o modelo apresentado em 2007 contava com algumas limitações importantes para a época), pelo menos era um smartphone inovador. No formato, na proposta e no conceito. Você queria ter um iPhone porque ele era diferente dos outros. Porque ele era conceitualmente diferente.

Uma tela frontal inteira, com um único botão físico, corpo unibody, tela touch com controle multi-gestos, um sistema operacional otimizado para aquele produto, pensado do início ao fim… enfim, Steve Jobs não só deixou o produto fascinante aos olhos de todos, mas também comprovou que aquele era apenas o começo de uma grande mudança no mercado de telefonia móvel.

 

É inegável que o iPhone mudou o jogo. Se mudou minha vida como blogueiro de tecnologia, que dirá o universo mobile.

Hoje, temos todo um mercado móvel altamente influenciado pelo iPhone, com uma diversidade de modelos, características e recursos que só foram benéficos para todos nós.

Hoje, apesar do duopólio Android/iOS e do duelo Samsung e Apple, temos uma forte competição entre os principais fabricantes do planeta. Em 2007, todo o mercado mobile estava nas mãos da Nokia, da Motorola e da BlackBerry, com alguma participação especial da Sony (Ericsson). Agora, temos um mercado muito mais diversificado, com múltiplas opções, atendendo todos os gostos, todos os segmentos de mercado, atendendo todas as tribos.

Quem não percebeu que o iPhone era uma verdadeira revolução no mercado simplesmente foi engolida pela Apple. As três líderes de mercado que citei no parágrafo anterior é um claro exemplo do que eu estou falando.

 

Enfim, dez anos depois, vemos como tudo mudou com o iPhone. Tudo bem, o produto pode não ter a mesma influência e relevância do passado (com quedas de vendas pela primeira vez desde o lançamento). Mesmo assim, é inegável a sua importância histórica dentro do mercado de tecnologia.

Para muitos, o iPhone é considerado o mais importante produto de tecnologia da história. E hoje eu não acho essa afirmação tão absurda assim.

O iPhone mudou a vida de muita gente.

A minha, inclusive.