A Apple confirmou o que eu já suspeitava a algum tempo: o iOS 5 está sim sodomizando a bateria de alguns usuários do iPhone e iPad. A empresa confirmou isso ontem (03/11), e já liberou para os desenvolvedores a versão 5.0.1, que promete a melhoria nos sistemas de gestão de energia (clique aqui para saber mais). E já sentia os efeitos disso nos últimos dias.

Desde que instalei o iOS 5 no meu iPhone 3GS, percebi que o mesmo simplesmente drenava a autonomia de bateria a níveis inaceitáveis. E nem precisa dizer que vários fóruns na internet passavam dicas para amenizar o problema. Pra começar, isso não poderia acontecer, ao meu ver. Foram 6 betas lançados, com um monte de beta testers espalhados pelo mundo. Das duas, uma: ou esse povo ficou muito fascinado pelos encantos da nova versão, ou todo mundo testou com iPhone 4, com case com bateria externa. Fora isso, o iOS 5 já começa com um problema que, para mim (pode ser que não seja para você, mas respeite aqui o meu ponto de vista) o torna inviável para o uso pessoal e profissional, que é o que exijo desse smartphone desde que adquiri. Logo, voltei para a versão 4.3.3. Daqui a pouco, passo o meu veredito sobre a troca.

Muitos dos usuários que estão reclamando são proprietários de iPhone 3GS. Porém, outros tantos são donos de iPhone 4, e até usuários de iPad estão reclamando do problema. Depois de muito pesquisar, cheguei a algumas conclusões. Uma delas é que o novo sistema de notificações, que “homenageia” (porque “copiar” é um verbo que a Apple não usa) o sistema de notificação do Android pode ser um dos culpados, pois uma vez o smartphone online, ele (em teoria) deixa conectado o tempo todo os aplicativos de previsão do tempo e do mercado financeiro. Se eles ficam rodando em background, acessando a internet de tempos em tempos, logo, ele terá um consumo maior da sua bateria, se comparado às versões anteriores do iOS.

Outra avaliação que fiz é que, apesar de diversas dicas encontradas na web (e acreditem, todas elas foram úteis), nenhuma das soluções apresentadas resolvia o problema, apenas minimizava. Enquanto o iPhone com iOS 5 ficava desconectado de qualquer rede, a sua bateria tinha uma autonomia nos mesmos padrões das versões anteriores. Porém, o iPhone não é um smartphone para ser usado apenas desconectado, certo? Pois bem, era só conectar em uma rede (seja WiF ou 3G), que a bateria era rapidamente drenada. E olha que serviços com o iCloud, Ping, localização e busca de rede automática estavam todos desligados. Telefone com brilho baixo, reza para benzedeira e promessa de cantar o hino do XV de Piracicaba, nada disso ofereceu a mesma performance que eu tinha no iOS 4.3.3.

Pois bem, como não tinha nada a perder, resolvi fazer o downgrade do sistema, para comparar a sua performance. Às 7h15, no começo do dia, resolvi ligar o WiFi do iPhone 3GS com 4.3.3, e trabalhar com ele o dia inteiro nesse modo, checando os tweets normalmente, atualizando e-mails, verificando previsão do tempo, enfim, o comportamento normal do meu dia-a-dia conectado ao iPhone. Quando deu 23h15 (ou seja, 16 horas depois), o iPhone ainda tinha 25% de bateria. Ou seja, o que eu considero o aceitável para o uso intenso.

Qual foi o resultado do iOS 5? Começando a trabalhar com ele às 8h da manhã, 9 horas depois ela já se encontrava com 20% de autonomia restantes. Assim não dá!

Mesmo que seja um problema específico do iPhone 3GS (e aí, pode até ter alguma relação com a baseband do aparelho – alguns usuários desse modelo tiveram problemas ao atualizar essa versão), fica complicado que, depois de 6 betas, ninguém (nem mesmo a Apple) tenha observado esse problema. Por outro lado, não é motivo para reclamações: para quem estava em 2008 com um smartphone com Symbian S60 e agradecia a Deus por isso, não há porque ter pressa para que o iPhone funcione de forma perfeita com um software novo. Logo, posso viver muito bem com o iOS 4.3.3. É estável, é funcional com minha operadora, e mantém o meu iPhone funcionando por mais algum tempo.

Para quem pensa em fazer o mesmo, clique aqui e veja o tutorial para o downgrade para o iOS 4.3.3. Para quem tem uma certa habilidade com o assunto, o processo é relativamente simples. Mas recomendo que você só faça o procedimento se tiver certeza absoluta dos riscos que você corre (e tenha em mãos o chip da operadora de origem do seu iPhone, caso ele tenha sido desbloqueado para outras operadoras – acredite, você vai precisar). Ou senão, espere pacientemente a versão iOS 5.0.1, que não deve demorar a sair.

E, se você não teve esse problema com a bateria do seu iDevice com iOS 5, eu digo: feliz de você!