ana-maria-braga-atropelada

Tudo bem, eu sei. Quando você estiver lendo esse post, esse vai ser provavelmente um assunto requentado, mas de qualquer forma, vale a pena comentar o acontecimento. Aliás, um dos momentos mais bizarros da TV brasileira em 2013. A apresentadora Ana Maria Braga foi vítima da tecnologia (ou do protótipo, pelo menos), ao ser atropelada por um carro que anda sozinho, desenvolvido por pesquisadores brasileiros. Indo muito além de qualquer discussão sobre quem estava certo ou errado na infração de trânsito, vamos analisar a velocidade de como isso foi parar na internet.

Eu vi o primeiro tweet sobre essa preciosidade poucos SEGUNDOS depois que o evento aconteceu, onde todo mundo que estava assistindo ao Mais Você naquele momento começou a comentar o ocorrido. Inclusive com uma hashtag bem humorada, a #QuaseRIPAnaMaria. Saí correndo para ver o que tinha acontecido, e disse no Twitter que dava 30 minutos ou menos para ver o vídeo do acontecimento no YouTube.

Para o meu não espanto, apenas 15 minutos depois da cena, a mesma já poderia ser encontrada no YouTube, publicado pelo amigo @GordoGeek.

post-video-ana-maria-atropelada

Não temos o link do vídeo porque a Rede Globo pode remover qualquer tipo de vídeo que conte com o seu conteúdo das listagens do YouTube. Mas isso não quer dizer que outros internautas não tentem o mesmo. E, pelo visto, estão conseguindo.

Nesse momento que estou escrevendo esse post, com uma simples busca no YouTube por “Ana Maria Braga Atropelada”, você ainda pode encontrar resultados do mesmo vídeo nos mais diferentes formatos e resoluções. Alguns deles contam até com replay (ou reprise dos melhores momentos) sobre o ocorrido. Tá, com certeza a imensa maioria dessas contas podem até ser bloqueadas pelo YouTube, apenas por violar a política de distribuição de conteúdo online da Rede Globo. Mas isso não quer dizer que vão conseguir tirar essa cena um tanto quanto constrangedora do ar.

Isso me lembra o caso do vídeo da Cicarelli transando na praia. Aquilo virou um monstro vivo na web, que só parou de crescer quando a protagonista em questão jogou baixo, querendo tirar o YouTube do ar. Um exemplo mais recente foi o vídeo do Nissim Ourfali, que também só foi completamente removido da rede depois que os pais da criança foram na Justiça. Não acho que vai rolar tribunal dessa vez, até porque as políticas do YouTube em relação ao conteúdo da Rede Globo são bem claras, e o próprio YouTube vai sair passando o facão em todo mundo.

Porém, uma vez na internet…

Pela velocidade das republicações desse vídeo, sem falar nos vídeos inéditos de outras pessoas que, pelos mais diferentes motivos, gravaram o programa de hoje em seus DVRs, vai levar algum tempo até que esse novo viral da web saia em definitivo do ar. Sem falar que do jeito que o assunto foi comentado hoje, o melhor que Ana Maria Braga e Rede Globo podem fazer nesse caso é relaxar. A essa altura dos acontecimentos, não há muito o que fazer. O monstro está criado, e cresce a cada segundo.

Até porque é mais fácil nesse caso parar o carro que anda sozinho.