A vida dos diabéticos não é fácil. Apesar de contarem hoje com uma vida bem mais saudável do que no passado, algumas dificuldades simplesmente desafiam o passar do tempo ou o avançar da tecnologia.

Uma dessas dificuldades está no próprio paciente. Em alguns casos, é difícil perceber quando a insulina está baixa no organismo. Cada pessoa reage de uma forma, e em alguns casos, a crise glicêmica pega tão forte, que não há um tempo hábil para se tomar uma providência adequada.

Em muitos casos, o paciente tem uma crise glicêmica de repente, e nada pode fazer. Alguns deles já utilizam uma tatuagem com uma indicação de que é diabético e o tipo sanguíneo, em caso de emergências.

Porém, o ideal é que a própria pessoa tome as providências antes de ter uma crise glicêmica. Por isso, o Dermal Abysss, projeto de um grupo de desenvolvedores do MIT e da Harvard Medical School, desenvolveu uma tinta para tatuagens com biosensores que analisam a composição do sangue, detectando as mudanças nos níveis de insulina.

Isso evitaria por exemplo as picadas constantes que os pacientes com diabetes precisam fazer todos os dias para medir o nível de glicose no sangue. Com essa solução, basta ver como a tatuagem está. A cor da tinta oferece a informação necessária, permitindo que ele tome providências o quanto antes.

Vídeo demonstrativo a seguir.

 

 

 

Via MIT