nyjrinstagram

Já que a FIFA fica de miserinha com certos termos, temos que usar dessas pequenas estratégias para poder deixar nossos posts dentro da lei e da ordem. Enfim, aquele torneio de futebol está prestes a começar (quinta-feira, 17h, horário de Brasilia), e mais uma vez teremos um evento esportivo onde poderemos ver os jogos pela TV, mas comentar esses mesmos jogos com qualquer pessoa do planeta através das redes sociais.

Não é um movimento novo. É a segunda edição do torneio da FIFA em que teremos um uso maciço das redes sociais por parte dos internautas para comentar os jogos. Eu me lembro que em 2010, quando o torneio foi realizado na África do Sul, foi justamente o Twitter e o Facebook que tornou essa experiência televisiva bem mais interessante e divertida. Afinal de contas, quem aqui consegue esquecer o #CALABOCAGALVAO, que se tornou bordão no Twitter meses antes do torneio começar (em março, na abertura da temporada da F1 daquele ano)?

Qual será a grande pérola da geração conectada em 2014?

Aliás, em 2014, além do Twitter e do Facebook, temos outras ferramentas bem interessantes para manter os torcedores ativos e interagindo com a ação esportiva exibida na tela. Instagram, Vine, WhatsApp e Google Hangouts devem ser utilizados de forma exaustiva, tanto pelas grandes corporações de mídia quanto os ilustres desconhecidos internautas que querem comentar os jogos com os demais internautas espalhados ao redor do mundo.

Sem falar que nesse mundial em específico será possível acompanhar alguns dos astros do torneio compartilhando parte do dia a dia das concentrações, bastidores de jogos e outras peculiaridades do torneio, em fotos e vídeos que já estão em grande profusão nas principais redes sociais. E como todo mundo lá no fundo gosta de uma perspectiva “Big Brother” de tudo…

Toda essa mudança comportamental promovida pela geração conectada é muito positiva. Tudo bem, eu entendo que jamais será possível substituir a felicidade de encher a casa com amigos bêbados, fazer um churrasco o dia inteiro e torcer e vibrar com os jogos da Seleção Brasileira diante da TV na sala de casa. Porém, nem se você colocar os humoristas mais criativos do Brasil na mesma sala de casa será possível produzir a quantidade de pérolas e piadas que os internautas são capazes de criar no recanto escuro do seu quarto, com a ajuda do computador ou do smartphone (ou do tablet).

Aliás, jamais podemos desprezar o poder das redes sociais nesses momentos importantes do mundo esportivo. Não só pela capacidade de criar verdadeiros fenômenos como o #CALABOCAGALVAO, mas também pelo nascimento de novas ideias e projetos que nasceram do encontro de pessoas com mentes criativas e inteligentes?

Novos sites de humor, novos blogs esportivos, novas parcerias de negócios e até casamentos apareceram desses encontros inusitados.

Por isso, nem preciso dizer que a partir da próxima quinta-feira (12), a ordem do dia é: TV ligada, pipoca + refri (ou cerveja + qualquer petisco de sua preferência) ao seu alcance, e notebook no colo (ou smartphone/tablet na mão). Não há nenhum motivo para você simplesmente se isolar do mundo conectado justamente na hora onde todos vão expressar seus pensamentos e sentimentos com o mundo através das redes sociais. Até porque elas se chamam “redes sociais” por um motivo, certo?

Sem falar que ver televisão lendo o Twitter e o Facebook não só está salvando a experiência de ver TV, mas também tornando esses eventos mais pessoais, divertidos e interativos. Nada melhor do que dar muitas risadas quando um zagueiro fura, ou ler os comentários raivosos de torcedores adversários quando o seu time marca um gol.

Ou mandar um certo narrador famoso “calar a boca” quando ele começa a disparar uma inesgotável sequência de comentários, digamos, “espirituosos”, no nível de “limite extremo” e “com a faca entre os dentes”.