planet-hemp

Planet Hemp | Queimando Tudo | Os Cães Ladram, Mas a Caravana Não Para | 1997

Não adianta armadilha, mermão, eu não caio
E muito menos cabeça de pobre é pára-raio
A mente aguçada, mermão, eu sei que isso te espanta
Mas eu continuo queimando tudo até a última ponta

Vocês podem não acreditar no que eu vou dizer, mas: eu não bebo nada alcoólico, não fumo, e nunca usei nenhum tipo de drogas ilícitas (mas sei quando alguém está fumando maconha… acredite, tem gente que não sabe identificar o cheiro). E você não acreditar em mim não faz a menor diferença, pois é a minha palavra contra a sua. Sou contra a legalização das drogas (mas sou a favor de uma regulamentação específica para usuários não serem presos por motivos torpes). Mas, independente de qualquer posicionamento pessoal sobre o assunto… eu acho o Planet Hemp o máximo!

Veja bem: essa talvez foi a banda que a MTV Brasil mais brigou pelo direito de colocar os seus videoclipes no ar. Foi proibida de exibir o clipe de “Legalize Já” (por motivos óbvios), mas isso não impediu que o canal promovesse não só a sonoridade do grupo, que recebia várias influências musicais (indo do rap, passando pelo rock, pegando um pouco do eletrônico, uma pitada de samba, etc), mas principalmente o espírito transgressor, que foi o que me chamou a atenção neles.

Não é difícil de explicar esse ponto. Tá, eu sei que durante a ditadura militar, o Planet Hemp sequer existiria. Mas ver em 1996 uma música sendo censurada era um tanto quanto pesado demais. E, quando você imaginava que eles fossem pegar pesado com tudo e todos pela censura de “Legalize Já”, eles foram para o bom humor, com a ótima “Queimando Tudo”.

E isso, em uma música de protesto. Que começa com uma das frases mais engraçadas da música brasileira: “eu canto assim porque eu fumo maconha…”. Na hora, a minha mente falou “caraca, esse cara está falando isso em rede nacional… DE NOVO?”

Talvez nós ficamos todos muito sérios, e não entendemos a piada que o Planet Hemp queria fazer. Não era a pura e simples apologia à maconha (até porque eu entendo que entra nessa quem quer, e não é uma música que vai me fazer usar a tal Cannabis Sativa), mas sim aquele desejo de dizer “como vocês são hipócritas! Não estamos dizendo para você fumar maconha. Queremos dizer que não queremos ser discriminados e presos por fumar maconha”.

Sim, eu sei. Eu não gostaria que meu filho um dia começasse a usar drogas, e não é nenhum incentivo que as crianças vejam os adultos fumando maconha. Da mesma forma que não vejo como bom exemplo adultos fumando cigarro e bebendo cerveja diante dos filhos. Mas esse não é o tema desse post.

Fato é que: sem a MTV Brasil, jamais entenderia as piadas do “Quem Tem Seda”, do “Ex-Quadrilha da Fumaça”, e muito provavelmente perderia o jeitão de drogados de Marcelo D2, B-Negão, Black Alien e companhia.

E, de novo: ouvir o Planet Hemp não me torna um drogado, ok, pais? Até porque vocês ouviram Caetano Veloso, Gilberto Gil, Os Mutantes, Tom Zé e tantos outros na década de 1960, e nem por isso saíram por aí usando substâncias alucinógenas, certo?

Ou eu estou enganado?

 

Para saber os critérios dessa escolha, clique aqui.