Compartilhe

Ué… não era uma “fantasia da mídia”? “Culpa da imprensa”?

Subestimou uma pandemia porque é burro, meu caro! Você é tão burro quanto o seu gado composto de idiotas que acredita nas asneiras que você fala!

Você é valente na palavra, e nem mesmo a sua palavra fere mais. Vive de mentiras, bravatas e ofensas. Você se acha “o especialista” em tudo, mas não passa de um animal irracional que fica vomitando sua burrice acima da média. Está fazendo isso desde o começo de 2019, e minha vida se tornou um pesadelo ao ter que testemunhar esse seu comportamento de homem de Neandertal.

Ah, desculpe… você não é homem. Eu já te chamei de animal nesse texto. Se bem que os animais (qualquer um) não merecem uma comparação com um ser tão asqueroso.

Então, capitão caverna… a tal “fantasia da mídia” se tornou realidade, mostrando para você as voltas que a terra plana dá! E eu acho isso ótimo!

Quero deixar bem claro que eu não torço pela sua morte. Assim como a sábia Valesca Popozuda bem disse no clássico do cancioneiro do povo bagaceira, “desejo à todas as inimigas vida longa”, para que você sofra com uma “criação da mídia” que tem pelo menos 7% de letalidade para alguém da sua idade.

Quero você bem vivo para seguir chamando você de corno (Michele tá boa?), analfabeto funcional, despreparado, imbecil e, acima de tudo, burro. Sua postura irresponsável é seguida por milhões de acéfalos que abraçam todos os seus preconceitos, e isso pode levar a óbito muita gente que vai achar que a pandemia é apenas uma “fantasia da mídia”.

Se bem que, ao mesmo tempo, a seleção natural da espécie não seria uma má ideia nesse caso… então… podem manter a “manifestação” para o próximo domingo, tá? Eu vou acompanhar a movimentação do gado no conforto do meu apartamento.

Por fim, eu torço nesse momento pelo coronavírus, e só no seu caso, capitão caverna. E para quem chegou até aqui e está puto comigo por causa das minhas palavras, eu tenho que lembrar ao leitor desmemoriado que esse ser asqueroso também desejou a morte de suas inimigas, em alto e bom som.

E eu não estou torcendo pela sua morte.

Apenas para que o coronavírus mostre que ele é apenas um bosta falante. Tão irrelevante quanto qualquer outra bosta que cruza o nosso caminho.


Compartilhe