Não chegou. Com sorte em 2020. Mas… 5G… de verdade? Não, não temos. Nem estamos perto disso.

A MWC 2019 deu ênfase para duas tecnologias de futuro. A primeira é o smartphone dobrável ou com tela flexível, que todo mundo viu, mas ninguém tocou (eu vou falar mais sobre isso ainda hoje). A segunda tecnologia é o 5G, que fabricantes e operadoras estão querendo enfiar no mercado na base do fórceps.

O evento de Barcelona quase deu a entender para muita gente que o 5G já era uma realidade, quando na verdade não é. Bom, ainda não é. A maioria das operadoras ao redor do mundo ainda estão implantando esse formato de rede. No Brasil, só teremos o leilão das frequências em 2020 (se é que vai realmente acontecer nesse ano).

Porém, vários fabricantes apresentaram produtos já compatíveis com as redes 5G de primeira geração e, em alguns casos, com as redes de segunda geração, que não sabemos quando chegarão ao mercado. Mas como o desejo dos fabricantes é também estimular as vendas dos novos produtos, o reforço da possibilidade de conectividade com as redes que virão no futuro se torna algo mais enfático.

O que pode eventualmente induzir os menos experientes ao erro.

Nesse momento, o 5G não existe em basicamente lugar nenhum do mundo. Mesmo. Muito menos no Brasil. Logo, não adianta sair correndo para comprar um smartphone compatível com essa tecnologia de rede. Além do dispositivo só funcionar com o 4G durante um bom tempo, é melhor escolher um dispositivo que já está na segunda geração dessa tecnologia.

Foi impressionante ver na MWC 2019 os fabricantes de smartphones forçando a barra para uma tecnologia que, de forma oficial, nem está em operação. Eu entendo que é a forma das marcas prepararem para o futuro, antecipando tendências. Mas vários desses fabricantes deram a entender que o 5G já era uma realidade.

Que bom seria se fosse.