Compartilhe

Outro dia eu li na internet algo que me chamou a atenção. Uma frase que era mais ou menos assim:

“A tristeza vem da inteligência. Quando mais sabemos das coisas e sobre as pessoas, mais desejaríamos não saber delas para não nos decepcionar.”

Eu não respondi a postagem na hora porque, sinceramente, eu não pensei em algo inteligente ou relevante o suficiente para comentar. E não ia ser aquela pessoa que comenta qualquer coisa nas redes sociais, para não dar uma de “palpiteiro do mundo” ou “especialista do pensamento alheio” (eu juro que estou tentando de todas as formas combater esse mal em mim).

Mas agora, depois de alguns acontecimentos ocorridos comigo em mais uma semana onde eu me pergunto se não seria melhor o Brasil ter escolhido o terremoto antes de certos problemas que enfrentamos, já é possível ter um pensamento minimamente racional e dizer…

“A culpa não é sua por você ser inteligente, e sim das pessoas que acham que você é burro demais para acreditar nas tentativas de trapaças.”

Não podemos culpar as pessoas por tentarem passar a gente para trás. Mas também não podemos nos sentir culpados por acreditar nas pessoas erradas. O problema não está em você, e sim na outra pessoa que não tem essa índole toda para ser honesto com você. Jamais pense que a ignorância é uma benção. Na verdade, ser ignorante em 2019 é o mesmo que viver em uma prisão.

Sim. Esse post tem um baita ar brega de autoajuda, e eu estou tentando me ajudar também. Mas acho necessário que outras pessoas que se sentem lesadas e enganadas pelo “modus operandi dos espertos” não fiquem se remoendo por causa disso.

Bola pra frente. E, se possível, chuta a bola com toda a força que você tem. Com a mesma vontade de chutar a bunda daquela pessoa que tentou passar você para trás.

 

 

E, principalmente: aprenda a se perdoar no processo

 

Perdão não é algo que obrigatoriamente você dá para o próximo, muito menos significa você dizer “amém” para a sacanagem alheia. Significa você se curar de um mal que certamente vai afetar a você e ao seu paladar na hora de comer um bolo de chocolate. E você não quer sentir um gosto ruim na boca ao comer um bolo de chocolate, certo?

Então… se você já se livrou desse encosto materializado de ser humano, parabéns! É uma grande vitória. Agora vai lá, e se salva. Se perdoa. Não fica remoendo essa raiva e alimentando o desejo em jogar a cadeira em cima de alguém.

No lugar disso, vai jogar videogame de luta, caminhar no parque, assistir ao Vingadores: Ultimato (e imaginar que é você que está surrando o Thanos, e não o Capitão América), vai fazer sexo ou qualquer outra coisa que tira o seu foco sobre aquela pessoa e a situação em si.

Ah… um último detalhe…

 

 

Existe uma coisa chamada LEI DO RETORNO, e isso não é vingança

 

Se bem que…

“Quando eles vierem (e eles virão),
Será para ir atrás de você.
(…)
Você não entendeu. Não há nenhum trono.
Não existe uma versão disso onde você vai vencer.
Talvez o seu exército venha e talvez seja demais para nós.
Mas tudo isso é contra você.
Porque, se não pudermos proteger a Terra,
Pode ter certeza que nós a vingaremos.”

Entendedores entenderão a menção acima.

E VOCÊ ESTÁ AVISADO!


Compartilhe