Compartilhe

LenovoSisley

Sério… eu escrevi o post sobre isso hoje (14) no TargetHD, mas não consigo entender como isso está acontecendo. Na verdade, eu entendo: temos uma cópia descarada de um produto. Só não consigo acreditar (ainda) que a Lenovo vai ter coragem de se queimar dessa forma, tornando oficial o modelo Sisley, na esperança de ser chamado de ‘iPhone com Android’.

Talvez eu esteja diante da tática mais estúpida de todos os tempos. Ou a mais genial, dependendo da perspectiva. É claro que tenho que lembrar para vocês que o produto é – pelo menos por enquanto – um vazamento, ou seja, ele não é oficial, e ainda existe a chance de alguém lá dentro da Lenovo evitar que esse desastre aconteça.

E quando falo em ‘desastre’, não estou me referindo aos fatores econômicos envolvidos na questão. Falo do aspecto moral, ético e jurídico da causa. A Lenovo é livre para fazer o que bem entender. Eu não tenho ações da empresa, logo, quero mais é ver o circo pegar fogo se eles colocarem o produto no mercado. Mesmo assim, não consigo deixar de ficar incomodado com isso. Não só entendo que os problemas legais virão, mas como entendo que virão mais rápido que os asiáticos imaginam.

Senhoras e senhores, o produto é praticamente um clone do recém lançado iPhone 6 da Apple. Sobre isso, não há discussão. Nem mesmo as sutis diferenças de design (se é que elas existem) podem evitar a comparação entre os dois produtos. E, nesse caso, a cópia foi feita de forma descarada, sem medo de ser feliz.

Entendo que isso deve ter acontecido pelo simples fato de, em algum momento no passado, alguém lá dentro da Lenovo teve a confirmação que esse seria o design adotado pela Apple para o seu próximo smartphone, passou a ideia adiante para outro alguém que deve dar as ordens dentro da Lenovo, e esse alguém – de forma estúpida – deu o ‘OK’ para que o produto fosse produzido. Mais: levou o projeto adiante. Mesmo sabendo que esse era um lançamento iminente da concorrência.

Honestamente? Ainda não quero acreditar que a Lenovo vai ter a coragem de lançar o produto no mercado. Quero imaginar que alguém vai colocar a mão na consciência, e impedir que essa sandice chegue às lojas. Sim, pois se isso acontecer, será uma enxurrada de processos para cima deles. E com razão.

Dá a impressão que esse pessoal não conhece nada sobre a histórica guerra de patentes envolvendo Apple e Samsung. E olha que eu sempre achei essa disputa estúpida, pois os coreanos ao menos sempre foram discretos, adotando referências de design dos produtos da Apple, e utilizando patentes da gigante de Cupertino que eles não pagaram os devidos direitos de uso. OK, esse assunto está encerrado.

Mesmo assim, nunca vi a Samsung ir tão longe no quesito clonagem. O que a Lenovo fez – por ser a Lenovo -, se for verdade, beira o vergonhoso. Aliás, aqui nem pode ser usada a desculpa do ‘foi um acidente’, pois qualquer empresa minimamente decente não pega um projeto ‘que aparece do nada’ para adotar como um produto seu. Lembrando que não é difícil imaginar como o design do iPhone 6 foi parar nos escritórios da Lenovo – se é que foi assim que aconteceu -, uma vez que os fornecedores de componentes e fábricas que montam os dispositivos são os mesmos em muitos casos.

Sei que sou repetitivo, mas quero mesmo acreditar que esse produto jamais chegará ao mercado, que foi um equívoco, que é um fake querendo queimar a Lenovo, ou qualquer outra teoria que elimine a hipótese desse cenário ser real. Caso contrário, imagino o jurídico dos asiáticos com o tempo muito ocupado pelos próximos anos. A Samsung, por muito menos, enfrentou uma batalha judicial sem precedentes. E diante do Lenovo Sisley, a impressão que tenho é que os coreanos não foram tão copiões assim.

Até porque o clone mesmo de um produto da Apple é esse aí. Os demais são ‘referências criativas’ mesmo.


Compartilhe