A morte do iPhone 14 mini não é uma má ideia para a Apple (mas é uma péssima notícia para mim) | @oEduardoMoreira Press "Enter" to skip to content
Início » Smartphones » A morte do iPhone 14 mini não é uma má ideia para a Apple (mas é uma péssima notícia para mim)

A morte do iPhone 14 mini não é uma má ideia para a Apple (mas é uma péssima notícia para mim)

Compartilhe

Escrever este post pode ser algo doloroso para mim, já que investi parte do meu dinheiro em um iPhone 13 mini recentemente.

Só a Apple poderia entregar um smartphone pequeno e potente. Bom, era o que Tim Cook achava quando lançou o iPhone 12 mini em 2020. E, de fato, ela não tem concorrência neste sentido. Porém, essa ausência de concorrência está explicada por um único motivo: a maioria não quer telefones pequenos, definitivamente.

Por causa disso, o fim do iPhone mini é uma realidade que até os vazamentos começam a confirmar. E, pensando racionalmente, não é uma ideia tão ruim assim (para a Apple, é claro).

 

 

 

As vendas do iPhone mini são um fracasso

Os números não deixam mentir: apenas 5% do volume total de vendas da família iPhone 12 correspondem ao modelo mini, o que fez a própria Apple reduzir em 70% a produção dessa versão.

Muitos consideram o lançamento do iPhone 13 mini como uma surpresa diante do fracasso da versão anterior. Por outro lado, a Apple entendeu que não tinha concorrência no segmento com tela abaixo das 6 polegadas, com exceção do ASUS Zenfone 8 (5,9 polegadas), e que esse era um nicho a ser explorado.

Ledo engano. Eu sou um dos poucos hoje que desejam um telefone com tela menor para que ele se encaixe menor no bolso e nas mãos.

A maioria dos usuários já se acostumou com smartphones com telas de 6 polegadas ou mais, e as vendas do iPhone 13 mini repetem os resultados pífios da versão anterior. E com a chegada do iPhone SE (2022) com tela de 4.7 polegadas e preço substancialmente menor, tudo leva a crer que o iPhone 14 mini jamais vai ver a luz do mercado.

Os vazamentos recentes apontam para quatro novos smartphones da Apple no segundo semestre de 2022:

  • iPhone 14
  • iPhone 14 Max
  • iPhone 14 Pro
  • iPhone 14 Pro Max

Dessa forma (e, pelo menos em teoria), o iPhone menos caro passaria a ser o padrão, o que pode resultar em uma relativa redução de preço para o modelo base, o que é algo positivo para o consumidor final, de alguma forma.

E péssimo para mim, que tem um iPhone 13 mini de 512 GB que, ao que tudo indica, será muito desvalorizado daqui a alguns meses.

 

 

 

A Apple pensando no que o grande grupo consumidor quer

Diferente do que Steve Jobs afirmava no passado, a Apple hoje ouve mais o que o consumidor deseja.

Um dos principais motivos para qualquer pessoa comprar um smartphone hoje é consumir conteúdos de streaming. E isso só pode ser feito de forma decente em um dispositivo com tela de, pelo menos, 6 polegadas. E quem quer ter um telefone pequeno hoje vai recorrer ao iPhone SE, que é bem mais barato.

De qualquer forma, eu defendo o iPhone 13 mini. Ele é muito mais completo que o iPhone SE (2022), em todos os aspectos. Porém, reconheço que é bem mais caro também.

No final das contas, é o usuário quem manda. E cabe ao mercado apenas acompanhar os movimentos de mudança e as tendências.

E os usuários que desejam smartphones pequenos que se virem. Ou que fiquem com telefones limitados nos aspectos técnicos. E vida que segue.


Compartilhe
@oEduardoMoreira