Compartilhe

Duas das maiores empresas de tecnologia do planeta foram vítimas de um pouco de justiça poética provocada por uma grande estafa. E em um momento onde a rede social de Mark Zuckerberg não está em posição de figurar entre as mais confiáveis para os seus usuários.

O nome Evaldas Rimasauskas pode não significar nada para você (ou para ninguém) nesse momento. Mas daqui a alguns anos, vai entrar para a história por ser capaz de roubar centenas de milhões de dólares do Google e do Facebook.

 

 

Falsidade ideológica por e-mail

 

É como se fosse a continuação do filme Prenda-me Se For Capaz. O rapaz acabou de se declarar culpado por ter enganado o Facebook e o Google para que as empresas pagassem para ele o total de mais de US$ 123 milhões.

Tudo aconteceu entre 2013 e 2015, quando Evaldas fundou uma empresa falsa, com um nome que era, de forma suspeita, similar ao da Quanta, um provedor confiável de produtos de hardware para centros de dados e com boa reputação global.

Aqui, nosso protagonista entrou em contato com o Google e o Facebook por e-mail para realizar cobranças por supostos serviços e produtos adquiridos. As mensagens pareciam bem convincentes, e tudo parecia que se tratava da Quanta verdadeira. Resultado: o Google acabou desembolsando ao longo de três anos um total de US$ 23 milhões.

A parte mais delicada do golpe foi com o Facebook, que caiu ainda mais na trapaça, a ponto de pagar US$ 100 milhões. Com essa fortuna, Evaldas Rimasauskas simplesmente sumiu do mapa. Até que em 2017 ele foi preso na Lituânia e extraditado para os Estados Unidos.

O processo penal foi bem longo, e só agora ele admitiu a sua culpa na montagem de toda essa fraude milionária. Tal tipo de golpe é conhecido como BEC (Business Email Compromise).

A sentença de Evaldas será anunciada no final de julho, e só então vamos descobrir por quanto tempo ele vai ficar preso.

 

Via Justice.gov


Compartilhe