Início » Software » Android Go com 1 GB de RAM… ainda faz sentido em 2021?

Android Go com 1 GB de RAM… ainda faz sentido em 2021?

Compartilhe

O Android evoluiu muito, mas ainda é um devorador de recursos. Se você deseja ter uma experiência de uso impecável no sistema operacional do Google, não tem outra alternativa a não ser investir um bom dinheiro em um smartphone premium, com hardware robusto e preços elevadíssimos.

O Google tentou solucionar esse dilema econômico com o lançamento do Android Go, versão simplificada do seu sistema operacional e pensada em funcionar bem nos dispositivos mais modestos. E essa é uma ideia excelente… na teoria.

Pois na prática, é a porta aberta para o desastre se o fabricante não pensar bem no que está fazendo.

 

 

 

Android Go com 1 GB de RAM… faz sentido?

Eu gosto da proposta do Android Go.

Não sou o tipo de pessoa que entende que o mundo da tecnologia só pode ser composto por dispositivos top de linha ou sempre com o hardware mais potente. Mesmo porque isso não se aplica ao nosso mundo prático.

No meu mundo perfeito, estava todo mundo usando um iPhone 12 Pro Max ou um Samsung Galaxy S21 Ultra de 512 GB. Mas isso não é possível, por diversos motivos que todos nós bem conhecemos quais são.

Por isso, iniciativas como o Android Go são bem vindas e necessárias. Porém, o que era uma boa ideia na teoria se transformou em um enorme desastre na prática. Aquele velho problema de execução de conceito, sabe?

Tipo um plano do Coyote para pegar o Papa Léguas… (tá, a referência revela a minha idade, mas funciona na prática).

Colocar o Android Go como versão acessível do Android não foi o problema. O grande problema foi deixá-lo como uma versão que só iria funcionar com apenas 1 GB de RAM e hardware muito mais modesto do que o ideal para entregar uma melhor experiência de uso.

Já utilizei vários dispositivos com o Android Go nos últimos anos, e me convenci que apenas 1 GB de RAM é algo insuficiente para entregar uma fluidez minimamente aceitável, até mesmo para os usuários que contam com baixas prioridades e expectativas no dispositivo.

O resultado dessa escolha infeliz? Muitos usuários insatisfeitos com os seus telefones, que ficam engasgando, travando, congelando ou virando um peso de papel barato nas mãos dessas pessoas. E, é claro, o mercado como um todo foi desistindo do Android Go.

Até mesmo o Google desistiu dele.

Então… qual é o sentido em lançar um smartphone com 1 GB de RAM e Android Go em pleno 2021?

 

 

 

É uma cilada, dona Alzira!

Eu sei que tem alguma dona Alzira, 77 anos de idade, que está lendo este post agora. Falo por conhecimento de causa, já que as senhorinhas de mais idade gostam da minha companhia e das coisas que escrevo na internet.

Por isso, deixo o recado para a dona Alzira: Android Go com 1 GB de RAM É UMA CILADA! Foge disso a todo custo!

Entendo que um smartphone com essas características vai atender bem aos usuários com baixa demanda ou menor poder aquisitivo. Porém, até mesmo a dona Alzira precisa de mais hardware do que isso para conversar com o grupo do pilates no WhatsApp ou ver o neto por chamadas de vídeo no Duo.

Por isso, 1 GB de RAM no Android Go não dá! De jeito nenhum.

E eu não sei por que alguns fabricantes de smartphones Android ficam insistindo com isso, cobrando quase R$ 1 mil para entregar um telefone que não terá uma vida longa.

Ou será que a ideia é justamente essa: deixar o dispositivo tão ruim para que o cliente acabe comprando outro?

Vai entender, não é mesmo?


Compartilhe