A ideia de que aplicativos de relacionamento são coisa exclusiva para os millenials – geração nascida entre os anos 80 até o início da década de 1990 – é coisa do passado. Agora, grupos mais velhos também estão fazendo download desses apps em busca de pessoas interessantes para conversar e se relacionar, provando que, para isso, não existe faixa etária.

Os esquemas tradicionais tendem a mostrar que os círculos mais comuns onde você encontra um parceiro são a família, os amigos e os locais de trabalho. Mas quando esses círculos são estáveis ​​e não renovados, os aplicativos de namoro se tornaram o novo lugar para conhecer alguém.

Uma pesquisa recente feita pelo happn, aplicativo de relacionamento, analisou como as gerações se comportam dentro do app. Dentre as principais diferenças está que pessoas com idades entre 35 e 44 anos enviam mais mensagens do que as que estão na faixa etária entre 25 e 34.

No início de 2017, o percentual de 35+ no aplicativo foi de 26%, uma pesquisa feita por happn em outubro de 2018 mostram que esse número aumentou para 27,4%. Ambas as faixas etárias também obtêm mais curtidas em perfis do que em 2017 – o que é ainda mais o caso dos 35-44.

Além disso, apesar de a maioria dos usuários do happn estarem na faixa etária entre 25 a 34 anos, a maior parte dos novos usuários do app possuem mais de 45 anos de idade. Em 2018, foi registrado um aumento de 14% de novos membros dentro deste grupo etário comparado ao ano anterior.

Em segundo lugar, estão pessoas entre 35 e 44 anos. Essa tendência pode ser motivada pelo aumento dos números de divórcios e o atual movimento das pessoas seguirem a vida e estarem abertas a um novo amor – segundo estudo do IBGE, publicado ao final do ano de 2017, um a cada três casamentos terminam em divórcio no Brasil.

Para Didier Rappaport, fundador do happn, ser solteiro aos 30, 40 ou 50 anos é considerado normal atualmente. Usar um aplicativo de namoro para aumentar as chances de encontrar um amor se tornou, finalmente, aceito e positivo pela sociedade.

“Como um reflexo da vida real, o namoro online está claramente se tornando um novo padrão, independentemente da sua idade e sexo. E, felizmente, é principalmente sobre empoderamento: você é o único a decidir como deve ser sua vida social e fazer acontecer. E parece que os usuários 35+ entenderam isso melhor do que nossos usuários mais jovens”, explica o executivo.

A pesquisa, que foi realizada em diversos países como Brasil, Argentina, Dinamarca e França, também um crescimento de cerca de 17% de novos usuários com mais de 45 anos pelo mundo, seguidos por 5% de indivíduos entre 35 e 44 anos.