Eu sei que o termo ‘destruir’ é um pouco forte. Mas é oportuno, e é pensado nas polêmicas que podemos gerar com esse termo. O complicado ano de 2019 da Apple recebeu várias novidades interessantes em setores que não eram bem explorados pela empresa, que podem se tornar mais rentáveis pelos novos formatos abraçados.

Um serviço de assinatura de revistas, um cartão de crédito e, agora, um serviço de games exclusivo para o seu ecossistema. Tim Cook quer tornar os jogos ainda melhores. Ou pelo menos os jogos das plataformas móveis. E pode fazer isso com o Apple Arcade.

Ter uma plataforma unificada em todos os dispositivos que estão sobre o guarda-chuva da Apple (Apple TV, iPhone, iPad e macOS) pode ser o grande fiel da balança em um segmento que ainda está nascendo, mas já conta com players poderosos como Sony, Nintendo e Microsoft. Tá, tem o Google que entrou na briga com a Stadia, mas é algo tão diferente e com mais perguntas do que respostas, que ou dá muito certo, ou é um grande fracasso.

Um dos segredos do Apple Arcade está no time de programadores envolvidos. E um dos nomes que figuram a favor da plataforma nesse aspecto é Hironobu Sakaguchi, ninguém menos que o criador da saga Final Fantasy. Ele e outros programadores estão desenvolvendo jogos exclusivos para a nova plataforma da gigante de Cupertino.

Talvez o primeiro grande obstáculo que a nova plataforma terá que superar é o fato de, pelo menos nesse primeiro momento, ela não contar com o modo multiplayer. Quem sabe no futuro isso acontece? Por outro lado, o Apple Arcade trabalha com jogos offline, o que deve animar os jogadores mais preocupados com a obrigatoriedade de ficarem o tempo todo conectados na internet para o jogo em questão funcionar.

Além de contar com recursos como o Family Sharing e a simplicidade de uso, o Apple Arcade traz como carta na manga a exclusividade dos títulos. De novo, pelo menos nesse primeiro momento. São mais de 100 jogos novos e exclusivos no ato de lançamento do Apple Arcade, e sem compras adicionais.

Toda essa estratégia da Apple pode sim dificultar e muito as coisas para o universo gaming do Android. Por outro lado, quais são os desenvolvedores que vão abrir mão de contar com 80% do mercado ao seu dispor para apostar no Apple Arcade de forma exclusiva? Os pequenos? Acho pouco provável. Até porque a plataforma quer os grandes desenvolvedores.

De qualquer forma, a polêmica está servida. Os próximos meses serão empolgantes para os amantes dos games.