apple

É claro que a Apple pode comprar a Netflix se ela quiser. A empresa de Cupertino tem dinheiro a dar com pau, e pode comprar basicamente qualquer empresa abaixo dela que dê algum retorno financeiro a médio e longo prazo.

A pergunta é: a Apple quer mesmo comprar a Netflix?

A empresa que fabrica o iPhone pelo qual você está lendo esse post nesse momento tem claro interesse no mundo do entretenimento. Faz investimentos consideráveis e até começa a colher os frutos disso, mesmo sem ter a mesma visibilidade alcançada por outros players de mercado.

As produções originais e os streamings ao vivo são de interesse para Tim Cook e sua turma. Aliás, o entretenimento doméstico está tão em alta, que eles querem criar uma solução onde as pessoas podem assistir as estreias do cinema da sala de casa, antes mesmo desses filmes desembarcarem nas salas de projeção com tela grande.

Isso mostra claramente como a Apple realmente aposta no entretenimento para uma alternativa de gerar receitas, deixando de ter uma dependência tão evidente do segmento de mobilidade. É um movimento inteligente de uma empresa que visa obter lucros e possui potencial de expandir esses lucros em diferentes frentes.

Porém… será que isso envolve comprar a Netflix?

Eles até podem fazer isso no futuro. Posso até queimar a minha língua. Mas, sinceramente… acho bem pouco provável.

Não apenas entendo que a Apple possui potencial próprio para desenvolver bons conteúdos originais, como acho que não seria producente eliminar um dos mais fortes concorrentes no mercado. Pois essa concorrência ajuda as demais a “subir a barra” dentro da competição no mercado de streaming.

Ter uma Netflix ativa e independente como a de hoje (ou pelo menos sob as decisões de Reed Hastings) é fundamental para que o segmento do entretenimento continue a crescer com qualidade sustentável. Amazon, Hulu, HBO, Apple e outras não se interessariam a sério nesse setor se a líder dominante não tomasse algumas decisões corretas. E todos eles precisam da líder para seguir oferecendo um conteúdo cada vez melhor para os assinantes.

Sem falar que não dá para estimar exatamente o quanto a Netflix ganha com os direitos de distribuição internacional de suas próprias séries, que são exibidas em outros canais de TV aberta e paga no mundo todo.

Por incrível que pareça, é mais lucrativo para a Apple ter a Netflix como concorrente do que simplesmente adquirir a empresa toda.

Na verdade, as coisas do jeito como estão são ótimas para todos os envolvidos do segmento de streaming.

Para o assinante inclusive.