Compartilhe

Eu amo as batatas Pringles… importadas, pois as nacionais são uma grande porcaria. Um dos seus pontos mais fortes de personalidade gráfica é a sua inconfundível embalagem em forma de tudo. Mas isso está próximo a mudar.

Depois de receber várias críticas que afirmavam que o tal tubo era praticamente impossível de ser reciclado, a Kellog’s (responsável pela fabricação das batatas Pringles) vai mudar a icônica embalagem de suas batatas.

 

 

 

Substituindo uma embalagem complexa

 

As batatas Pringles são armazenadas em uma embalagem produzida com múltiplos materiais, como uma base de metal, tampa de plástico, protetor metálico e corpo de papelão forrado com papel alumínio. Ele é um autêntico vilão da reciclagem, e isso fez com que a Kellog’s iniciasse os testes com uma lata mais simples, mesmo que ainda não seja uma solução 100% ecológica.

A nova embalagem teria 90% de seu material composto de papel, e 10% seria uma barreira de plástico que sela o interior para proteger os alimentos do oxigênio e da umidade. Para a tampa, a empresa está testando duas opções: uma de plástico reciclável e outra de papel reciclável.

E, antes que você me pergunte… sim… as duas tampas vão continuar a produzir o som característico e associado ao produto, que é responsável pelo seu lema “quando você faz pop, não há stop”.

Marketing é tudo nesse mundo, não é mesmo?

A nova versão da embalagem também não resolve o problema, pois muitos consideram a embalagem da Pringles um fracasso de design do ponto de vista dos recicladores. A nova versão melhora o problema, mas ainda tem uma tampa de plástico.

Os especialistas pedem o desaparecimento da tampa de plástico e pede para que os fabricantes repensem as suas embalagens, apostando em soluções biodegradáveis e comestíveis. Já a Kellog’s disse que sua embalagem deve ser hermeticamente fechado, ou o alimento dentro dela vai se perder.

Vale lembrar que as batatas Pringles contam com um prazo de validade médio de 15 meses. Mesmo com as mudanças não serem o suficiente para resolver as crises ecológicas do mundo, ao menos podem contribuir para reduzir em grande escala a contaminação de plástico e outros materiais, além de reduzir as emissões de CO2 na atmosfera.

 

 

Via BBC, The Recycling Association


Compartilhe