O ASUS ROG Phone foi apresentado oficialmente, e temos aqui um dispositivo pensado nos jogos mais exigentes e na máxima performance. Mas no lugar de apostar no overclocking do hardware, os asiáticos investiram na otimização dos recursos.

Qual é a diferença entre uma coisa e outra?

Simples. No lugar de forçar o hardware para obter um desempenho com potência extrema, a ASUS opta em garantir que esse mesmo hardware trabalhe no máximo desempenho possível, ou que o mesmo foi desenvolvido.

A forma de fazer isso é, por exemplo, garantir que processador e gráficos possam trabalhar o tempo todo no desempenho pleno, através da refrigeração de componentes. A ideia faz todo o sentido, uma vez, que, em temperaturas moderadas, os componentes conseguem trabalhar de forma mais natural e fluída.

 

 

A ideia é entregar ao usuário final o melhor resultado possível, com o menor desgaste possível. Mesmo porque contar com o Snapdragon 845, GPU Adreno 630 e 8 GB de RAM (além da tela com taxa de atualização de 90 Hz) já é contar com um pacote de recursos mais que completo para entregar os melhores resultados possíveis na execução de jogos pesados.

Do mais, o ASUS ROG Phone reforça o que eu disse a algum tempo: os fabricantes estão tentando diversificar a oferta de smartphones da mesma forma que os computadores tradicionais fizeram para sobreviver.

Com o mercado de smartphones com segmentos definidos e já saturado em alguns mercados, os fabricantes estão apostando no mercado gaming para diversificar a rentabilidade, apostando em um público alvo que investe pesado nesses produtos.

Além disso, é uma forma eficiente de apresentar as suas soluções tecnológicas, que podem eventualmente ser aproveitadas em modelos das linhas inferiores. Ou, na pior das hipóteses, posicionar a marca nesse segmento, e o que vier depois disso é lucro.

 

 

Em resumo: o ASUS ROG Phone é mais um pioneiro de um segmento de mercado que só vai crescer, por interesse dos fabricantes. Que, por sua vez, detectaram o interesse em um grupo considerável de usuários.

Os smartphones gaming estão ganhando um ponto de maturidade muito interessante. Veremos como esse segmento vai se desenvolver.