Eu tive uma semana muito corrida e, por causa disso, só agora eu consegui sentar na frente do computador para escrever sobre o ASUS Zenfone 6. O modelo foi apresentado na Espanha na semana passada, e depois de escrever sobre ele no TargetHD.net e assistir ao vídeo de apresentação, eu consigo compartilhar com vocês algumas das conclusões e pensamentos que eu tenho sobre o dispositivo.

A primeira coisa que eu quero dizer é: ASUS, você sabe guardar melhor os seus segredos do que a grande maioria dos seus concorrentes diretos, e eu acho isso ótimo.

Vários renders do Zenfone 6 vazaram na web, mas apenas um dia antes do seu lançamento oficial é que a sua principal novidade de design e proposta acabou aparecendo na internet. Isso mostra que a ASUS bolou uma estratégia (ou um plano de contingência) que manteve tudo muito bem guardado até o quanto foi possível.

E isso é excelente porque, de alguma forma, temos o efeito surpresa em uma apresentação oficial de um novo produto. Entendo que isso está fazendo falta nos eventos das gigantes de tecnologia. Todo mundo sabe muito (ou tudo) sobre o produto meses antes do seu lançamento, e os grandes eventos produzidos pelos fabricantes viram checklists gigantes.

 

 

E a câmera flip?

 

 

Não é uma novidade no mercado de telefonia, mas é uma solução que é diferente da aposta dos demais fabricantes. Particularmente, eu estou queimando a minha língua com a ideia da câmera pop-up chegar ao mundo já morta. Porém, é um conceito que não me agrada, pois acredito que é um tipo de mecanismo bem sujeito a problemas com o uso diário.

Já a solução do ASUS Zenfone 6 aponta por outro caminho, e tende a ser mais resistente e melhor aceita por mim. Desde que o mecanismo de flip funcione perfeitamente, é claro. Mas é uma solução simples e funcional para oferecer a mesma qualidade fotográfica para fotos e vídeos no sensor principal e para as selfies tão populares entre os usuários.

 

 

O abandono do conceito “quero derrubar a Motinha”

 

 

A ASUS abandonou de vez a ideia de entregar o melhor smarpthone de linha média premium do mercado, e assumiu de vez o desejo de lucrar como a Apple lucra: com os modelos top de linha. Porém, diferente da gigante de Cupertino, a ASUS está ciente que entregar a melhor relação custo/benefício possível é o segredo para tudo dar certo.

Por isso, podemos estar diante de uma das melhores relações custo/benefício entre os modelos com Snapdragon 855. Aliás, eu nem preciso dizer que eu gostaria de ter esse dispositivo para chamar de meu. Se transformaria no meu smartphone principal com muita facilidade (tchau, Pocophone F1), ainda mais com um conjunto de câmeras excelente para qualquer situação, uma tela full frontal e uma bateria generosa de 5.000 mAh.

O que mais eu poderia querer?

Ah, sim… que a ASUS continue como parceria dos meus blogs para tornar a chegada do Zenfone 6 por aqui algo viável.

Espero não estar pedindo demais!