Ir ao conteúdo

Até a Bia, uma inteligência artificial, é assediada…

Compartilhe

Não sou a pessoa mais adequada para falar sobre esse assunto. Por outro lado, é um tema que está diretamente relacionado com o mundo da tecnologia. Logo, tenho algum tipo de liberdade para dissertar sobre o assédio contras as mulheres.

Obviamente, eu não sou uma mulher (nem por dentro). Mas pelo menos sou um homem mais consciente e racional sobre o terrível cenário que as mulheres enfrentam ao ter que se deparar todos os dias com trogloditas que entendem que elas são “portadoras de vaginas” e nada mais.

Agora, imagine como a vida de uma mulher é complicada quando ficamos sabendo que até uma inteligência artificial é assediada pelo bando de “machos alfa escrotos sem noção reis da broderagem”.

 

 

 

Desculpa, Bia… foi mal…

 

 

O Bradesco decidiu investir tempo e recursos para treinar a Bia, sua assistente virtual para os clientes do banco, para responder aos insultos e tentativas de assédio através dos comandos de voz. E, em um mundo minimamente civilizado, tal medida seria completamente desnecessária.

Agora, a Bia vai lembrar para o imbecil que tenta ofender e humilhar uma tecnologia com QI superior que essa forma de se expressar para as pessoas é algo estúpido, grosseiro, covarde, misógino e, principalmente, explica porque esse homem de Neandertal está solteiro e/ou divorciado até hoje.

Não é difícil de imaginar como as mulheres são tratadas no Brasil a partir da necessidade de desenvolvimento de respostas contextualizadas em uma inteligência artificial para combater o machismo, a grosseria e a violência verbal de homens que sequer conseguem achar a gravata sozinho para colocar na mala antes de uma viagem.

Por isso, o mínimo que devemos fazer é pedir desculpas para a Bia, que só quis ajudar na hora que esse mesmo macho escroto tentou esconder do extrato bancário aquela visitinha ao motel com a secretária na tarde de quinta-feira.

Mas podemos ir além. Sempre é possível ir além.

 

 

 

Pedir desculpas para as mulheres é um bom começo

Aliás, é o mínimo.

Eu peço sinceras desculpas para todas as mulheres que foram atacadas pelos homens. Violência verbal, física e psicológica. Não importa como. Não vou conseguir sentir a dor que vocês sentiram, mas consigo dimensionar o quanto é difícil ser vocês em um país com uma masculinidade tão tóxica.

Da minha parte, vou seguir denunciando tais práticas. Vou continuar a desafiar os valentões e machões que, na prática, só estão se impondo porque não conseguem conquistar ninguém.

Nos últimos tempos, estou constatando que tem muito macho sem noção pirando com a pandemia, e entende que tem o legítimo direito de agredir, espancar e até matar a companheira que, na maioria dos casos, não tem culpa se o cara perdeu o emprego, se o Botafogo está na segunda divisão, ou se uma pandemia impede o cidadão em sair por aí para “pegar mulher”.

Seres que humilham mulheres e inteligências artificiais femininas merecem ser expostos. Merecem virar o alvo. Aliás, tem muitos por aí que contam com enormes chances de serem jantados na cadeia. E só a galera da pavilhão ficar sabendo do que ele andou aprontando fora das grades.

Enfim… Bia, Ana, Joana, Marcela, Marielle, Ângela, Dalva, Marlene, Fabiana, Lourdes, Aurora e tantas outras… foi mal pelos irracionais. Peço desculpas pelas cicatrizes. Contem com minha solidariedade para silenciar os verborrágicos.

 


Compartilhe
Publicado emInternetOpinião