Compartilhe

A quarentena que meio mundo é obrigado a fazer por causa da pandemia do COVID-19 resultou em uma recomendação incomum na Bélgica (e eu queria estar na Bélgica nesse momento…): os agricultores do país solicitaram à população que aumente o consumo de batatas fritas com urgência.

A Bélgica virou o paraíso e não me contaram?

Todo mundo sabe que comer batata frita em excesso pode gerar danos irreversíveis para a saúde (suas artérias podem entupir com a gordura e o seu coração pode explodir, por exemplo). Então… por que pedir para a população aumentar a compra e consumo desse alimento?

Será um plano de destruição em massa (ou gordura trans)?

Batatas fritas são a casa da gordura e do colesterol, mas a maioria das pessoas ditas normais adoram esse alimento. Pois bem, os agricultores belgas estão pensando em uma maneira onde o produto não vai afetar a saúde da população e, ao mesmo tempo, manter o seu negócio a salvo, evitando que se perca a produção. Por conta da pandemia, a distribuição e venda do produto entrou em colapso, já que vários restaurantes e lanchonetes estão fechados.

No total, são aproximadamente 750 toneladas de batatas que estão em risco de serem perdidas se não forem consumidas. Logo, para os fanáticos por batata frita, a Bélgica é, nesse momento, o melhor lugar do mundo para se viver.

O irônico é que você não pode ir para lá nesse momento, não é mesmo? Coisas da vida…

 

 

 

Como salvar 750 toneladas de batata frita?

 

A sugestão dos agricultores belgas é o consumo de batata frita duas vezes por semana no lugar de apenas uma. Dessa forma, não temos um consumo exagerado a ponto de danificar o organismo, e as 750 toneladas de batatas são salvas. Uma campanha de doação para os setores mais vulneráveis do país começou, e toda ajuda é válida nesse sentido.

Os comerciantes locais aderiram à inciativa, para que parte do estoque de batatas seja utilizado, evitando que um excelente alimento e o trabalho duro dos agricultores não se perda. É importante lembrar que a Bélgica é um dos maiores exportadores de batatas do mundo e, assim como aconteceu com vários outros setores do comércio, foi duramente afetado pela crise epidemiológica atual.

 

 

 

Ah, como eu queria estar na Bélgica nesse momento…

 

Os “belgicanos” (entenda a ironia nas aspas, pelo amor de qualquer coisa…) são felizes. Serem “obrigados” a comer batata frita em tempos de pandemia deve ser um sonho realizado em vida. É um strip tease gastronômico para quem tem alma de gordo.

Tá, a combinação de batata frita e natural sedentarismo por causa da quarentena pode ser bem perigosa para meros mortais (especialmente no meu caso, um ser que tem diabetes). Nos Estados Unidos, isso pode resultar na morte de milhões, e não estou sendo irônico ou piadista nessa frase.

Mas… pense bem…

750 toneladas de batata frita podem fazer a alegria de qualquer pessoa. Não que eu vá comer essa quantidade de batata sozinho. Compartilhar com a galera seria a ordem do dia. Mas como estamos em isolamento…

Bom, a questão agora é: qual é a quantidade necessária de refrigerante para consumir 750 toneladas de batata frita?

 

 

Via T13


Compartilhe