Compartilhe

A febre dos smartphones gaming continua, e eu tendo a concordar com alguns especialistas em tecnologia que afirmavam que a primeira geração desses produtos ainda não era a mais madura para merecer o investimento dos clientes em potencial. Assim como acontece com a grande maioria de tecnologias inovadoras que aparecem. E os novos Black Shark 3 e Black Shark 3 Pro são provas materiais dessa afirmação.

Antes de mais nada, é preciso deixar claro que esses são dispositivos assinados pela Black Shark, a subsidiária gaming da Xiaomi. Ou seja, podemos esperar o expertise da fabricante chinesa mais amada dos brasileiros, mesmo que esse produto demore um pouco mais para chegar por aqui (ainda mais com o dólar ultrapassando a casa dos R$ 4.50… quando esse pesadelo vai acabar?).

 

 

 

O melhor do melhor para os gamers mais convictos

 

 

Não vou ficar pontuando nesse post as diferenças técnicas que existem entre o Black Shark 3 e o Black Shark 3 Pro. Esses detalhes você pode encontrar lá no post do TargetHD.net sobre esses produtos. Quero falar mais sobre o que eu penso desses lançamentos, em um conceito mais amplo, olhando para a proposta dos mesmos no mercado de smartphones gaming.

E, sinceramente… é difícil mensurar o quanto ele pode impactar o segmento, pois o dispositivo tem pouco a melhorar nas configurações. Os novos smartphones gaming da Black Shark (aka Xiaomi) oferecem o melhor do melhor na RAM, armazenamento e processador. E, se considerarmos o 5G, ele também vem preparado para o futuro.

O novo smartphone gaming está pronto para se conectar com as futuras tecnologias de conectividade móvel, o que significa que teremos uma transmissão de dados ainda mais eficiente para se conectar aos servidores de jogos com o 5G (pelo menos na teoria). Por mais que você diga que ainda vai demorar um bom tempo para que essa conectividade de rede realmente deslanche no mundo todo, só de pensar que muitos usuários não vão cogitar trocar os novos Black Shark 3 e Black Shark 3 Pro por causa desse detalhe já pode ser um grande trunfo para esses novos modelos.

Além disso, outras tendências de futuro estão presentes nesses dispositivos, como por exemplo a tela de 90 Hz para um melhor desempenho na exibição dos gráficos. Vários smartphones de 2020 contarão com essa taxa de atualização, e talvez os mais exigentes podem entender que o Black Shark 3 e o Black Shark 3 Pro poderiam contar com 120 Hz. Mas… convenhamos: quais jogos realmente podem aproveitar desses números?

 

 

 

Vale a pena?

 

 

Valem sim. Mas para o público gaming.

Se você é um usuário casual, que só quer um bom smartphone para não ter vídeos engasgando na Netfix ou quer receber os nudes no WhatsApp sem maiores dificuldades, o Black Shark 3 é quase um exagero, e o Black Shark 3 Pro, que possui gatilhos dedicados para os games nas laterais, é algo desnecessário. Procure boas alternativas de telefones chineses potentes, e o seu dinheiro será melhor investido.

Já se você é um gamer convicto, e quer ter um dispositivo dedicado para essa atividade, os novos telefones da Black Shark precisam ser considerados, especialmente no caso do Black Shark 3 Pro, justamente por causa dos botões dedicados. Isso, e sua tela generosa, o Snapdragon 865 com 5G e outras especificações técnicas que eu prometi não detalhar nesse post.

Espero para ver o que a concorrência vai fazer, mas é difícil fazer melhor do que isso. Só se os detalhes entregarem um desempenho ainda melhor e, mesmo assim, é difícil extrair ainda mais do melhor que temos no mercado hoje.


Compartilhe