ballmer-windows-phone

Pode sorrir, Steve Ballmer! Pelo menos nós aqui da América Latina te amamos! Bom, quero dizer, amamos o Windows Phone. É o que revela a última pesquisa de mercado realizada pela IDC. No segundo trimestre de 2013, o sistema operacional móvel da Microsoft ultrapassou o iOS da Apple em participação no mercado latino-americano, sendo assim o segundo colocado no market share. E essa já pode ser considerada uma vitória para a Microsoft e, por tabela, para a Nokia.

O estudo mostra que o Windows Phone saiu da quarta para a segunda posição no México, Peru e Colômbia, além de registrar um avanço da quarta para a terceira posição nos mercados mais fortes do continente, que são Argentina, Brasil e Chile. Foi um crescimento de 12% em apenas três meses, muito em parte por causa dos lançamentos recentes da empresa (os novos modelos Lumia), e o sucesso do Lumia 520 nesses mercados, que são considerados emergentes.

Colocamos aqui uma boa notícia para a Nokia, por tabela. Afinal de contas, para não dizer que só a Nokia vende smartphones com o Windows Phone, 80% do mercado de dispositivos com o sistema da Microsoft estão nas mãos dos finlandeses. Logo, pela lógica, os méritos desse crescimento também vai para a Nokia e seus produtos.

Algo que é importante destacar é que a Nokia está com um crescimento em mercados considerados emergentes, mas onde justamente ainda contam com consumidores em potencial. Países como o Brasil e o Chile (mesmo com o dólar disparando e com uma crise econômica iminente) ainda contam com poder de consumo maior que os mercados da Europa e dos Estados Unidos, que ainda lutam para sair da crise.

Logo, é importante a Nokia/Microsoft ganhar terreno com esses mercados. Aliás, as vendas do Windows Phone na América Latina foram decisivos para que o sistema operacional ultrapassasse a BlackBerry, que considero como um adversário direto da Microsoft nessa luta pelo terceiro lugar no mercado de sistemas operacionais móveis.

E é a prova que nem tudo está perdido nessa parceria entre Nokia/Microsoft. Demorou, mas parece que os primeiros frutos começam a ser colhidos. As pessoas passam a confiar (e apostar) mais no sistema da gigante de Redmond, mesmo com uma grande desvantagem na oferta de aplicativos e alguns problemas sérios de funcionalidades que precisam ser ajustados.

Além disso, historicamente, a Nokia sempre vendeu bem na América Latina, e especialmente no Brasil, ainda conta com uma clientela considerável. Os usuários da Nokia mais fervorosos se mantém fiéis à empresa, e esse processo começa a tomar um tom de expansão, ainda mais com o novo Nokia Amber (versão do Windows Phone exclusiva para os dispositivos dos finlandeses) e com a primeira grande atualização do Windows Phone 8 a caminho.

Resumindo: pode sorrir, Steve Ballmer! A América Latina te adora! Ops, quero dizer… está começando a adorar o Windows Phone. De verdade.