bol-mail

Vou confessar que tenho sentimentos estranhos em relação ao BOL Mail. Medo, receio, preconceito superstição… até sentimento de nostalgia, para ser simpático com quem ainda usa o serviço. Mas antes de qualquer coisa, eu tenho é surpresa. Surpresa ao perceber que ainda tem gente que usa o serviço. E não são poucas.

E eu pergunto: por que?

Não é nem um ponto de crítica. Eu mesmo usei o BOL Mail… em 2000! Em um tempo onde eu era um jovem ignorante, que não conhecia as maravilhas da internet, e que encontrou no BOL Mail uma solução simples, agradável, direta, e no meu idioma. Depois disso, eu fui vendo que o serviço não só era muito ineficiente (colocando mensagens importantes em SPAM, e me colocando na lista de SPAM de algumas pessoas, para citar alguns exemplos), mas também percebi que existem outras opções mais interessantes entre os clientes gratuitos de e-mail.

Minha irmã do meio até hoje deve ter a sua conta no BOL. É óbvio que, por conta disso, eu já olho para ela de um modo meio estranho nos encontros familiares. O que reforça a pergunta: por que o BOL Mail?

O GMail não seria melhor? Sim, mas não é todo mundo que quer ter os seus dados no Google. E eu compreendo isso.

O Hotmail não seria melhor? Talvez. Eu tenho minhas broncas com o Hotmail, mas entre ele o BOL… “vem ni mim, Steve Ballmer” (ou seja lá quem for o CEO da Microsoft em 2014).

Yahoo! Mail, e-mail da Apple e tantas outras opções gratuitas? Sim, por que não?

Agora, o BOL Mail… esse eu imaginava que já estivesse morto no mercado.

Tentando ver o lado positivo da coisa, ele é um sobrevivente. Tudo bem, é mantido por um gigante da internet (o UOL), o que torna a sua sobrevida algo de mais fácil compreensão. Por outro lado, toda vez que vejo um e-mail do BOL em minha caixa de entrada, eu me vejo no ano 2000, e penso “isso é tão errado”…

Logo, fica a pergunta: por que o BOL Mail, meu povo?