cibercrime

Onur Kopçak, um jovem de 26 anos de idade, foi condenado por um tribunal da Turquia a uma pena de 334 anos de prisão, por conta da prática de pishing. Onur obteve dados de várias contas de cartões de crédito com essa prática.

Inicialmente, ele foi condenado a quase 200 anos de prisão, mas um novo julgamento onde ele foi considerado culpado por vender dados bancários de 11 cartões de crédito, o que fez com que sua pena aumentasse em 135 anos, totalizando os 334 anos da pena total.

Não vamos entrar nos méritos dos critérios turcos para condenar alguém, ou comparar essa sentença com aquelas impostas em outros países. Mas fazendo uma valoração simples com um pouco de senso comum, é fácil entender que ela é totalmente descabida.

Salvo Onur tenha a sorte de encurtar a sua pena de alguma forma, ele está condenado a prisão perpétua por roubar dados de cartões de crédito. Ou seja, para a justiça turca, esse crime é comparado a matar, estuprar, torturar e outras barbáries.

É uma pena recorde, superando tudo o que vimos até agora em casos vinculados ao cibercrime. Espero que outros países não tomem a Turquia como exemplo.

Via Softpedia