Compartilhe

Apenas um idiota completo nega que existe uma mudança climática em curso. Nem precisa de notícias para isso, pois sentimos o aquecimento global na pele. E mesmo com a população mundial mais consciente do que está acontecendo, tem muita gente que acha que isso é um conceito distante. E é preciso desenhar para que essas pessoas entendam o que está em jogo.

Nessa caso, não é bem desenhar, mas sim mostrar em letras garrafais, para que as pessoas entendam o que está em jogo. Um grupo de artistas, cientistas e ativistas iniciaram o projeto Climate Clock, que se materializou em um relógio gigantesco que está instalado em Nova York (Estados Unidos), mostrando para quem quiser ver (e, principalmente, para quem não quer ver) quanto tempo falta para tudo ir para o espaço por causa do aquecimento global.

 

 

 

O relógio está correndo, e o tempo está acabando

 

O relógio mostra o tempo que falta para evitar um desastre climático global. O grande dispositivo mostra dois números:

– O primeiro número, em vermelho, é um temporizador que indica o tempo que falta para queimar o nosso “reservatório de carbono”, ou seja, a quantidade de CO2 que podemos liberar para a atmosfera enquanto limitamos o aquecimento global a 1,5 °C acima dos níveis pré-industriais. No momento em que esse post foi produzido, o tempo era de 7 anos, 98 dias, 21 horas e 51 minutos.

– O segundo número, em verde, indica a porcentagem da energia global que se obtém de fontes renováveis. Hoje, esse número é de 27,75%.

 

O Climate Clock está na Union Square em Manhattan, e ficará funcionando por lá até o dia 27 de setembro. A obra está em Nova York para criar um ponto de reflexão durante a Semana do Clima, e também porque está acontecendo a convenção anual da ONU na cidade.

No ano passado, o Climate Clock foi instalado em Berlim (Alemanha), e em 2021 ele será instalado em Paris. E… você sabia que a Greta Thumberg conta com uma versão portátil desse relógio climático que foi fabricado para ser exibido para o secretário geral da ONU em 2018?

 

 

Via Climate Clock


Compartilhe