CNN+ durou apenas um mês (coitado…) | @oEduardoMoreira Press "Enter" to skip to content
Início » TV por Assinatura e Streaming » CNN+ durou apenas um mês (coitado…)

CNN+ durou apenas um mês (coitado…)

Compartilhe

Mais rápido do que o tempo que eu mesmo levo para encerrar qualquer relacionamento na minha vida.

A Warnermedia decidiu encerrar as atividades do serviço de streaming CNN+ com apenas um mês de funcionamento. Isso mesmo: literalmente um mês, pois sua estreia aconteceu em 29 de março de 2022, e os seus (poucos) usuários poderão acompanhar a sua programação até o dia 30 de abril.

Fora o fato do “não devia nem ter nascido, pra começo de conversa”, é preciso analisar com maior critério o que aconteceu aqui. Pois este é um sinal claro dos tempos atuais para todos os envolvidos.

 

 

 

Uma fusão em progresso

Quem está por dentro dos assuntos do mundo do streaming sabe que a Warner Bros. Discovery (WBD) está promovendo uma enorme reestruturação pós fusão das empresas, incluindo uma limpeza de executivos e mudanças de perspectivas para algumas produções. E para pagar o alto salário para ter de volta o Henry Cavil e o Ben Affleck como Superman e Batman, foi preciso ceifar o CNN+.

Estou brincando (mas bem que a explicação poderia ser essa).

O motivo oficial para o fim do CNN+ como plataforma de streaming independente é justamente esse processo de unificação de todas as plataformas que estão nas mãos dessa grande empresa chamada Warner Bros. Discovery. No final das contas, HBO Max e Discovery+ vão virar um (enorme) serviço unificado, e não fazia qualquer sentido manter o serviço de notícias como independente.

É importante lembrar que o CNN+ foi concebido antes da fusão entre Warner Bros. E Discovery. Seu lançamento até poderia ser freado, mas o processo de absorção entre as duas empresas só foi concluído depois do lançamento do serviço de streaming de notícias.

Aqui, podemos dizer que faltou timing da Warner Bros. Algum executivo que iria perder o emprego queria mostrar serviço e, para isso, lançou o CNN+ de qualquer jeito, sem pensar nos custos ou consequências dessa decisão.

No final das contas, os representantes da WBD entendem que os consumidores querem simplicidade e um serviço que combine tudo em uma única plataforma, entregando assim uma melhor experiência e maior valor agregado.

Eles não estão errados. Entendeu, Disney?

Mas… existe outra explicação para o fim precoce do CNN+.

 

 

 

Uma bolha que está estourando

Ninguém aguenta mais pagar por um monte de serviços de streaming para assistir a todos os conteúdos. E, convenhamos: o jovem que está com a mente totalmente voltada para a Anitta e o BTS não quer se informar na CNN.

Entendo a necessidade da Warnermedia em buscar novos públicos para rejuvenescer a audiência. Na verdade, todo e qualquer canal de TV e empresa de mídia precisa disso. Mas encontrar uma fórmula competente para isso é algo realmente muito difícil em um mundo onde os jovens se informam pelas redes sociais.

Quem sabe colocando o CNN+ no meio de todos os vários conteúdos do futuro HBO Max Discovery (nome hipotético) a relação custo-benefício seja mais vantajosa… para a própria WBD. Ou eles constroem do zero o hábito do jovem em consumir notícias pela internet através de sua plataforma, ou o serviço está relegado ao público que já possui.

É difícil competir com o Twitter e o TikTok, minha gente!


Compartilhe
@oEduardoMoreira