Como JK Scheinberg, engenheiro da Apple, foi recusado na Genius Bar | @oEduardoMoreira Press "Enter" to skip to content
Início » Variedades » Como JK Scheinberg, engenheiro da Apple, foi recusado na Genius Bar

Como JK Scheinberg, engenheiro da Apple, foi recusado na Genius Bar

Compartilhe

JK Scheinberg Genius Bar

JK Scheinberg, um engenheiro da Apple, foi recusado para trabalhar em uma Genius Bar. A notícia foi destaque no The New York Times, e revela a discriminação por idade na hora de conseguir ou manter um emprego.

Genius Bar é o serviço de assistência que a Apple oferece na Apple Store, onde dúvidas ou problemas técnicos são resolvidos, equipamentos são revisados e, dependendo da avaria, até pequenas reparações são realizadas.

Poderíamos pensar que o perfil exigia alguém que saiba profundamente dos problemas de software ou hardware Apple, mas no caso de JK Scheinberg mostra que ser jovem é mais considerado para o posto. O problema de discriminação de idade se estende em diversas outras empresas de tecnologia.

 

JK Scheinberg portou o OS X em um Sony com processador Intel

 

JK Scheinberg

 

JK Scheinberg não é um cara qualquer. Ele é um engenheiro que trabalhou 21 anos na Apple, com participação importante na sua história.

Mais especificamente com o projeto Marklar, onde a Apple cancelou a plataforma PowerPC para adotar os chips Intel em toda a linha Mac.

Antes da mudança, diversos testes foram realizados. O mais notável foi quando JK Scheinberg “inventou” uma versão do Mac OS X par processadores Intel, em um notebook da Sony.

O mais impressionante é que o engenheiro levou apenas três horas no máximo para realizar a portabilidade.

Para o teste, foi utilizado o Sony VAIO mais caro da época, e no mesmo dia da compra o OS X já rodava sobre o VAIO.

No dia seguinte, Steve Jobs foi para o Japão para se reunir com o presidente da Sony e o passo para os processadores Intel aconteceu logo depois.

JK Scheinberg se retirou da Apple em 2008, mas logo depois se sentiu inquieto com a aposentadoria. Considerou ser um modesto técnico em uma Genius Bar. Porém, com 54 anos de idade (o dobro dos demais aspirantes ao posto), foi recusado.

Moral da história: a discriminação etária segue latente no mundo empresarial.

Via The New York Times


Compartilhe