Com sorte, você tem um match. Se a outra pessoa achar você interessante, você tem um crush. E se tudo der certo, você tem um encontro (e algo mais depois do encontro). Caso contrário, abra o Tinder no smartphone, e comece tudo de novo.

O aplicativo para encontros e, quem sabe, uma bela noitada de sexo com uma pessoa que você mal conhece, se tornou um verdadeiro objeto de desejo para qualquer solteiro que quer deixar de ser solteiro, ou só procura uma companhia para uma noite agradável. A cada semana, o app forma mais de 1 milhão de encontros, e desde 2012 foram 30 bilhões de matchs.

Como foi que o Tinder se tornou mais eficiente que o cupido?

 

 

As pessoas contam com mais e mais motivos para ficar em casa

 

E não falo apenas da internet pura e simples. YouTube, serviços de streaming como a Netflix, o conforto dos nossos apartamentos cada vez mais modernos e conectados e até a recém finada série Game of Thrones são motivos mais que suficientes para que qualquer pessoa evite tirar o nariz de casa para sair.

Ou seja, o Tinder (e o sucesso no match para conseguir o crush) é um dos principais motivos para alguém sair de casa em busca de sexo. Pois as chances de fracasso são relativamente pequenas, já que na parte da aparência as duas pessoas podem se dar bem. A não ser que você seja um desastre ao falar, você tem tudo para se dar bem com a outra pessoa.

 

 

A sedução na “era Tinder”

 

Basicamente não existe, e você sabe disso.

Se tudo é baseado pela aparência e afinidades superficiais, como é que podemos dizer que existe algum espaço para a sedução? Quem sabe se você for uma pessoa muito inteligente e articulada, e se a outra pessoa estiver procurando exatamente isso no seu pretendente, e você tem alguma chance de seduzir alguém.

Porém, de novo: as chances da outra pessoa procurar a sedução são bem pequenas. Até porque ela já deu match em você, e a única sedução que a pessoa pode procurar é ver a sua roupa no chão do quarto.

 

 

As entranhas do algoritmo do amor

 

De novo, nada contra o Tinder. Pode até valer a pena para quem procura encontros casuais, mas um desastre para quem quer relacionamentos duradouros. Aliás, a internet como um todo é bem problemática para aquelas que acreditam que vão encontrar na rede mundial de computadores o amor da sua vida.

Não estou dizendo que isso é impossível, mas são casos raros. O ideal é você olhar mais para o interior da outra pessoa do que para o exterior. O superficial não é o mesmo que o essencial. E a nossa vida é feita de coisas essenciais, pois são essas coisas que contam com conteúdo relevante.

Profundo isso. Mas espero que você entenda onde eu realmente quero chegar.