Como o WhatsApp pode acabar com o “você estava online, mas não me responde…” | @oEduardoMoreira Press "Enter" to skip to content
Início » Internet » Como o WhatsApp pode acabar com o “você estava online, mas não me responde…”

Como o WhatsApp pode acabar com o “você estava online, mas não me responde…”

Compartilhe

O Telegram possui uma série de funções e recursos disponíveis para aumentar a privacidade dos seus usuários, e por mais que o WhatsApp se esforce, não consegue alcançar esse mesmo nível de excelência. Principalmente nos casos nefastos do “eu te mandei uma mensagem, você estava online e leu o que eu mandei, mas não me respondeu…”.

Se você é meu amigo e faz isso comigo, você não tem ideia de como isso é irritante. Mas eu me irrito mais com o WhatsApp, que não entrega soluções competentes para evitar que isso aconteça. Ou para banir tal prática.

O que fazer nessa situação? Destruir a conta do WhatsApp e o amigo que faz esse tipo de coisa não são soluções socialmente aceitáveis.

 

 

 

Todas as formas de privacidade implementadas

O WhatsApp oferece algumas opções de personalização para implementar a sua privacidade na plataforma, tais como ocultar a última hora de conexão, a foto de perfil e a informação dos status. Em todos os casos, você pode permitir ou ocultar essa informação para todos, para os seus contatos, criar algumas exceções entre os contatos e impedir que todos tenham acesso.

Você também pode eliminar a confirmação de leitura ou os dois traços azuis da discórdia que eu tanto odeio. E, mesmo assim, o outro usuário tem como saber quando você leu aquela mensagem enviada.

Agora, se tem algo que o WhatsApp falha miseravelmente é permitir que qualquer pessoa adicione você em um grupo qualquer, com um monte de desconhecidos. Permitir que apenas os seus contatos façam isso não é o suficiente, apesar de permitir que você aceite ou recuse o convite já parecer um avanço.

Por fim, bloquear qualquer usuário é uma medida drástica, mas ainda necessária em um mundo onde as pessoas se esqueceram de respeitar o limite alheio. Se isso desaparecer do WhatsApp, estamos ferrados.

 

 

 

Existem vários problemas sérios na “privacidade” do WhatsApp

Ainda é possível detectar quando uma pessoa está online no WhatsApp, mesmo que ela desabilite o recurso individualmente: através dos grupos. Isso é um problema grave, pois deixa uma brecha para que outra pessoa monitore outra dentro do aplicativo 24 horas por dia, o que é péssimo.

Alguns aplicativos de terceiros se valem dessas brechas e permitem essa monitorização ampla, inclusive informando quando foi a última vez que a pessoa entrou no aplicativo ou quando leu determinadas mensagens. Além disso, o Status do WhatsApp é igualmente falho ao permitir que qualquer um localize onde um usuário está a partir de uma simples visualização de mensagem, inclusive com o seu posicionamento geográfico.

A normalização da lista de pessoas que visualizaram um determinado status ou stories resultou em um risco para a privacidade alheia. Esses mesmos softwares de terceiros podem detectar o código de telefone de um país, latitude, longitude, cidade de origem e outros dados relativos aos usuários que visualizaram esses Stories.

Ou seja, tudo isso faz com que o Meta se obrigue a seguir evoluindo de forma enfática o WhatsApp. Neste caso, ele deveria copiar o Telegram e adotar algumas soluções, como por exemplo a opção de eliminar o status de Online no aplicativo, que só deveria aparecer apenas e tão somente quando o usuário está em um chat com aquela pessoa, mas permitindo que a pessoa seja livre para conversar com quem quiser, sem ser incomodado por um chato que quer atenção.


Compartilhe
@oEduardoMoreira