Compartilhe

Trabalho com produção de conteúdo online desde 2008, e faço isso do conforto do meu apartamento. E sou feliz com isso. Enquanto muita gente vai para uma redação barulhenta e cheia de gente, se submetendo aos mandos e desmandos de alguns chefes irracionais e inconsequentes, eu tenho a liberdade em escrever o conteúdo que eu quero, no meu tempo e do meu jeito, com a melhor estrutura que poderia contar nesse momento.

É claro que eu tenho que correr atrás do meu dinheiro todos os dias, meus finais de semana são mais curtos e feriados praticamente não existem para mim. Mas ainda assim, sou feliz com as escolhas que fiz.

Em temos de coronavírus COVID-19, muitas pessoas vão ter que trabalhar de casa. E isso pode ser um pouco complicado para quem não está acostumado com essa rotina alternativa. Logo, escrevo esse post para ajudar aos mais inexperientes, pois horas de home office é o que não me faltam para compartilhar algum conhecimento sobre o assunto com você.

 

 

Força, foco e (muito) café

 

Não pense que a vida fica mais fácil. Para trabalhar em home office, você precisa ter foco no que realmente importa: o trabalho. Você vai ter várias distrações (TV ligada, telefone tocando, criança correndo em casa, etc), mas procure de alguma forma manter a sua rotina de trabalho.

Estabelecer horários para trabalhar e metas de produção são boas táticas para conseguir concluir o seu trabalho em casa sem peso na consciência. É claro que você pode flexibilizar o seu tempo e o ritmo de trabalho, utilizando horas alternativas onde você está mais relaxado e pronto para trabalhar. Mas dentro daquele período de rotina diária, naquelas horas onde você precisa produzir aquele conteúdo, seja religioso nesse ofício, e tudo vai ficar bem.

Sobre o café… isso é mais coisa minha mesmo. Eu adoro café, e não só porque ele me mantém acordado e esperto para produzir textos. Mas o sabor do café me lembra por que eu escolhi o home office: em um emprego “normal”, com horários a cumprir, dificilmente eu teria a chance de parar um texto para tomar o meu gole de café sagrado.

 

 

 

É o melhor e o pior lugar para trabalhar

 

Home office é vida. Home office é amor. Não troco por nada.

Na verdade, troco sim. Em algumas oportunidades, eu saí do meu apartamento para ir até a praça de alimentação do shopping mais próximo para produzir alguns conteúdos, porque 1) lá tem ar-condicionado e aqui não; 2) lá tem McDonald’s e Burger King, e aqui não.

Esses são benefícios que você tem quando você é dono do seu tempo e espaço para trabalhar. Por outro lado, como eu disse lá em cima nesse texto, os seus finais de semana podem ficar seriamente comprometidos por causa de um trabalho extra que só você precisa fazer (porque você depende dele para pagar as suas contas), os feriados não existem (principalmente se você é produtor de conteúdo) e os boletos serão um ótimo motivador para você seguir trabalhando todos os dias.

 

 

 

Resista ao desejo de desistir

 

Em alguns momentos, você vai ter vontade de largar tudo e ficar deitado na cama esperando a noite chegar, só para continuar dormindo de tanto cansaço mental. Você até pode se permitir ter pausas e dar um tempo do trabalho em casa, algo que é saudável e necessário (senão, você enlouquece). Mas resista a tentação em desistir de tudo por causa das dificuldades que você vai encontrar pelo caminho.

Não é fácil ver o mundo ao seu redor tendo uma vida “normal” e você na frente do computador desenvolvendo um projeto no domingo à tarde. Faz parte do jogo. Mas é melhor do que enfrentar trânsito e chefe chato. Vai por mim: o home office pode parecer uma prisão, mas é a liberdade de tempo e até de dinheiro se você fizer direito.

 

Com essas dicas breves, eu espero ter ajudado aqueles que estão mais perdidos com um eventual novo cenário de trabalho, onde o seu lar doce lar vai ter que virar o seu “escritório, doce escritório”. É melhor do que parece. E é pior do que parece também. Mas se você souber equilibrar as coisas e aproveitar a experiência, terá como recompensa transformar a sua rotina diária em um prazer permanente.

Se sou um cara feliz hoje é porque eu tenho um trabalho que eu amo. E isso é mais importante do que a estabilidade do contracheque em alguns casos.


Compartilhe